MSRepórter - Notícias de Campo Grande-MS
20/10/2019
12 de julho de 2019 às 17h45 | Saúde

Assinatura de aditivo viabiliza funcionamento da unidade do trauma na Capital

Documento descritivo foi assinado nesta sexta-feira

Por: PMCG

O secretário municipal de Saúde, José Mauro Filho, o secretário estadual de Saúde, Geraldo Resende, e o presidente da Santa Casa, Esacheu Nascimento, assinaram nesta sexta-feira (12) o documento descritivo que é a base do termo aditivo prevendo repasse de aproximadamente R$ 2,8 milhões para o funcionamento da Unidade do Trauma. O documento ainda deve ser encaminhado para análise de Procuradoria Geral do Município (PGM) para que posteriormente possa ser efetivamente assinado e publicado.

Atualmente, o contrato com a Santa Casa é de R$21 milhões por mês, sendo R$14 milhões do Governo Federal, R$2,1 milhões do Governo Estadual e R$4,9 milhões do município. O termo aditivo prevê a ampliação na oferta ambulatorial e de consultas em especialidades, sobretudo a ortopedia.

De acordo com o secretário José Mauro Filho, estão previstas mais 160 cirurgias de pequeno e médio porte e 20 cirurgias eletivas ortopédicas,

“Existe uma necessidade muito grande por parte do município pelas cirurgias eletivas justamente para que a gente possa diminuir a demanda de pacientes ambulatoriais da nossa rede. Isso não só em Campo Grande, mas em todo Estado. Além disso existe uma demanda reprimida também criada judicialização”, comentou.

Além disso, segundo o secretário, é possível ampliar o número de pequenas cirurgias, exames de tomografia, ultrassonografia e endoscopia, além de oncologia e cardiologia. O repasse também irá viabilizar as ofertas de cirurgias eletivas em várias especialidades.

“Entendemos que pelo perfil do hospital será possível ampliar os serviços futuramente. Porém, neste momento sabemos que o termo aditivo irá somente complementar o que é necessário para colocar a unidade em pleno funcionamento que é uma luta de mais de 20 anos”, diz.

Para o secretário, o momento é de realização pessoal para ele e dezenas de pessoas que trabalharam por décadas no processo de construção da unidade que, enfim, efetivamente sai do papel.

“É uma sensação muito boa de realização. É apenas o início de um trabalho que tem muito a evoluir ainda. Acredito que o funcionamento pleno desta estrutura vai proporcionar uma melhoria muito grande para minimizar um pouco o sofrimento das pessoas”, diz.

Além dos secretários estadual e municipal e do presidente da Santa Casa, a promotora de Justiça  Filomena Fluminhan também esteve presente na assinatura do documento.

Estrutura

A unidade, que possui uma área construída de 6.529,48 m², divididos em três pavimentos,  contou com investimento de R$ 8,7 milhões, sendo R$ 3,2 milhões de recursos municipais, R$ 1,9 milhões em recursos estaduais e R$ 2,8 milhões de verbas federais.

A unidade possui 100 leitos de internação, 10 UTIs, cinco salas cirúrgicas, duas salas para pequenos procedimentos cirúrgicos, três salas de observação com 15 leitos, três consultórios, duas salas de odontologia, duas salas de radiologia, uma sala de fisioterapia, uma sala de reabilitação, uma sala de tomografia, sala de emergência, área para recebimento de ambulâncias, estacionamento para 55 carros e 12 motos, além de ambientes de apoio.

Comente esta Noticia
Notícias Relacionadas