MSRepórter - Notícias de Campo Grande-MS
20/11/2017
08 de junho de 2016 às 16h41 | Geral

Balança comercial de Mato Grosso do Sul aponta superávit de janeiro a maio

De janeiro a maio de 2016 o superávit chegou a US$ 1.056 milhões

Por: NotíciasMS

A Carta de Conjuntura do setor externo, realizada pela Secretaria de Estado de Meio Ambiente e Desenvolvimento Econômico (Semade), indica que, para Mato Grosso do Sul, a desvalorização do dólar a partir maio de 2015 teve resultado positivo no comércio exterior. O superávit na balança comercial do estado, de janeiro a maio de 2016, chegou a US$ 1.056 milhões. Com relação ao resultado em maio de 2016, o superávit alcançou cerca de US$ 190 milhões, embora inferior ao superávit verificado em maio de 2015, de US$ 238 milhões. Clique aqui para fazer o download da Carta de Conjuntura.

Houve também queda nas importações, com reversão na balança comercial desde maio de 2015, gerando exportações líquidas positivas para o Estado. Já os valores das importações de gás natural em maio de 2016, em termos de valor e volume, tiveram queda em relação a abril de 2016, cerca de 27% e 7%, respectivamente.

Alta no volume exportado – O secretário de Meio Ambiente e Desenvolvimento Econômico, Jaime Verruck, analisa os dados referentes ao comércio exterior de Mato Grosso do Sul. “Tivemos um crescimento de 10,08% em relação ao período de janeiro a maio do ano passado em termos de faturamento e 22,64% em relação ao volume exportado. Temos uma sinalização positiva porque o valor poderia ser só um reflexo da questão cambial – o que poderia justificar a alta. Entretanto, é importante destacar o crescimento do volume exportado, pois significa que produzimos mais, esmagamos mais e usamos mais caminhões”, comentou.

Para o secretário da Semade, esse volume permitiu maior dinamismo da economia do estado. “O destaque nesse volume foi a soja em grão, que representa 36% do volume total exportado do mês de maio, com alta de 26,27% em relação ao mesmo período de janeiro a maio do ano passado. Portanto, a soja foi destaque, com 40% a mais em termos de volume. No que diz respeito ao crescimento de valor, a celulose cresceu 4% e o segundo melhor produto foi o milho com crescimento de 186% em relação ao ano passado.”

Jaime Verruck complementa que a pauta de exportação foi tocada por dois produtos in natura – soja e milho – além do produto industrial que é papel e celulose. “A China continua sendo o principal destino das exportações de MS. É possível perceber claramente que elas continuam ajudando a economia de Mato Grosso do Sul, consequentemente, boa parte da performance de como a economia do estado consegue se manter num ritmo diferente do país decorre desse processo de exportação”, concluiu.

Carta de Conjuntura

As Cartas de Conjuntura dos setores de Exportação e Mercado de Trabalho de Mato Grosso do Sul foram lançadas em novembro do ano passado pela Semade. Elas são um instrumento informativo que serve de fonte de referência para investidores, analistas de mercado, jornalistas e pesquisadores. A publicação é mensal e é baseada nos dados do Ministério do Trabalho e Emprego (MTE), por meio do Cadastro Geral do Emprego e Desemprego (Caged) e do Ministério do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior (MDIC), por meio da Secretaria de Comércio Exterior (Secex).

Comente esta Noticia
Notícias Relacionadas