MSRepórter - Notícias de Campo Grande-MS
14/12/2017
27 de setembro de 2017 às 08h13 | Geral

Caminhada abre programação do Outubro Rosa em Campo Grande

A concentração para o início da caminhada será no lago do Parque das Nações às 8 horas do domingo

Por: Da Redação

Neste dia 1° de outubro, a partir das 8 horas, a Rede Feminina de Combate ao Câncer de Campo Grande (RFCCCG) promove em parceria com a Comissão da Mulher Advogada da Ordem dos Advogados do Brasil, Seccional Mato Grosso do Sul (OAB/MS), a 1ª Caminhada Outubro Rosa, voltada à conscientização da população sobre a importância do diagnóstico e prevenção do câncer de mama.

Será a primeira atividade do movimento popular conhecido como Outubro Rosa, comemorado internacionalmente neste mês. O objetivo dos eventos deste próximo mês será estimular as mulheres a realizarem os exames periodicamente visando a detecção precoce, num estímulo de autocuidado e à valorização da vida.

Para participar basta doar um quilo de alimento não perecível, que será doado a Rede Feminina de Combate ao Câncer. A concentração para o início da caminhada será no lago do Parque das Nações Indígenas às 8 horas neste domingo (1°).

Na Concha Acústica, as voluntárias e colaboradoras do Hospital do Câncer de Campo Grande Alfredo Abraão (HCAA) se reunirão em corrente pela vida fazendo a distribuição de materiais informativos com alertas sobre a importância da prevenção.

Sobre o Câncer de Mama

De acordo com o Instituto Nacional de Câncer (Inca), o câncer de mama é o mais comum entre as mulheres no mundo e no Brasil, respondendo por 28% dos casos novos a cada ano. Existem vários tipos de câncer de mama. Alguns evoluem de forma rápida, outros não. Relativamente raro antes dos 35 anos, a incidência cresce progressivamente após esta idade, especialmente depois dos 50 anos.

Ele também acomete os homens, porém é raro, apresentando apenas 1% do total de casos da doença. Estimativa 2016/2017 aponta 57.960 casos novos de câncer de mama no Brasil, sendo 820 em Mato Grosso do Sul. Vale ressaltar que quando detectado no início há grandes chances de cura.

 

Comente esta Noticia
Notícias Relacionadas