MSRepórter - Notícias de Campo Grande-MS
21/11/2017
11 de agosto de 2016 às 12h27 | Economia

Demanda do consumidor por crédito abre o segundo semestre em queda

Queda foi maior nos consumidores de baixa renda

Por: Da Redação

De acordo com o Indicador Serasa Experian da Demanda do Consumidor por Crédito, a quantidade de pessoas que buscou crédito em julho de 2016 caiu 5,3% em relação ao mês imediatamente anterior (junho de 2016). Em comparação com julho do ano passado, o recuo foi maior: 6,8%. No acumulado do ano até julho/16, a demanda do consumidor exibe fraco crescimento de 1,7% parente mesmo período do ano passado.

Os economistas apontam ainda discretas melhoras recentes no grau de confiança dos consumidores. Segundo análise a inflação alta (puxada por alimentos), juros em elevação e desemprego crescente continuam desestimulando os consumidores a assumir novos compromissos creditícios.

Na comparação com junho deste ano, a maior retração na demanda por crédito ocorreu na baixa renda: queda de 6,7% para os consumidores que ganham até R$ 500 mensais. Para os que ganham entre R$ 500 e R$ 1.000 por mês o recuo foi de 5,3%. Para os que recebem entre R$ 1.000 e R$ 2.000 mensais, a queda em julho de 2016 foi de 5,1%, idêntico resultado para os que recebem entre R$ 2.000 e R$ 5.000 por mês. Para os consumidores cujo rendimento mensal se situa entre R$ 5.000 e R$ 10.000, e queda na demanda por crédito em julho foi de 6,0% e de 6,4% para os consumidores com rendimentos mensais superiores a R$ 10.000.

No acumulado do ano do primeiro semestre de 2016, com exceção da faixa de menor renda (com queda de 2,2%), a busca do consumidor por crédito subiu em todas as demais faixas de renda em relação ao mesmo período de 2015: consumidores com renda mensal entre R$ 500 e R$ 1.000 (1,1%); renda mensal entre R$ 1.000 e R$ 2.000 (2,6%); renda mensal entre R$ 2.000 e R$ 5.000 (3,0%); renda mensal entre R$ 5.000 e R$ 10.000 (3,1%) e renda mensal maior que R$ 10.000 (2,4%).

Análise por região

Em julho de 2016, quando comparado ao mês anterior, as oscilações na procura do consumidor por crédito nas regiões do país foram: Norte (-2,8%); Nordeste (-5,6%); Centro-Oeste (-2,9%), Sul (-5,0%); Sudeste (-6,1%).

No acumulado do ano até 2016, a demanda do consumidor por crédito avançou 4,0% na Região Sul, 2,5% no Sudeste e no Centro-Oeste. Na direção contrária estão as regiões Norte e Nordeste com quedas acumuladas de 3,9% e 1,7% no acumulado de janeiro a julho de 2016 na comparação com o período de janeiro a julho do ano passado.

Comente esta Noticia
Notícias Relacionadas