MSRepórter - Notícias de Campo Grande-MS
19/09/2017
18 de maio de 2016 às 15h05 | Saúde

Deputados cobram ação emergencial contra epidemia de H1N1 em Naviraí

Epidemia aterroriza moradores e exige ação urgente, alertam parlamentares

Por: ALMS

Deputados estaduais cobraram, durante a sessão plenária desta quarta-feira (18), medidas urgentes do Governo do Estado para combater a epidemia de H1N1 em Naviraí, município localizado à 358 km de Campo Grande. Mara Caseiro (PSDB) ressaltou a gravidade da situação no município. “Um idoso morreu ontem, as aulas foram suspensas por 15 dias, com retorno somente em junho, estão proibidas visitas e trocas de acompanhantes nos hospitais e a recomendação é evitar aglomerações de pessoas e todos estão aterrorizados”, afirmou.

Mara, que também preside a Comissão de Saúde da Assembleia Legislativa, informou que foram registradas este ano 15 mortes em Mato Grosso do Sul em decorrência da doença, o que representa o dobro do verificado durante todo o ano de 2015, quando sete pessoas perderam a vida por H1N1.

“Não podemos assistir passivamente as pessoas morrendo; isso exige ação firme e urgente do Governo do Estado”, disse Onevan de Matos (PSDB). Lidio Lopes (PEN) lembrou que já faltam máscaras nas farmácias do município. Paulo Corrêa (PR), afirmou que a cidade pede socorro, faltam vacinas na rede pública e há pessoas que buscam comprá-las no Paraguai. “Muitos não sabem o que fazer, estão usando máscaras no supermercado, na frutaria, já virou epidemia e peço encarecidamente que o secretário estadual de Saúde [Nelson Tavares] apresente algum posicionamento”, disse. Segundo Corrêa, já são 27 casos confirmados e seis mortes no município, que totaliza 55 mil habitantes. O líder do Governo do Estado na Casa de Leis, Professor Rinaldo (PSDB), informou que o secretário se posicionará sobre o assunto e poderá se reunir com os deputados ainda esta semana.

Causas e prevenção

A gripe H1N1 é causada por uma mutação do vírus da gripe. Também conhecida como gripe Influenza tipo A ou gripe suína, ela se tornou conhecida quando afetou grande parte da população mundial entre 2009 e 2010. Os sintomas e a transmissão são semelhantes à da gripe comum. A prevenção também segue os mesmos parâmetros: evitar contato muito próximo com pessoa infectada; lavar sempre as mãos com água e sabão; evitar levar as mãos ao rosto e, principalmente, à boca; utilizar álcool-gel para garantir que as mãos sejam esterilizadas; alimentar-se bem, com verduras e frutas; beber bastante água; não compartilhar utensílios de uso pessoal, como toalhas, copos, talheres e travesseiros. Se considerar necessário, utilizar máscara para proteger-se de gotículas infectadas que possam estar no ar; evitar frequentar locais fechados ou com muitas pessoas; e verificar com seu médico se há necessidade de tomar a vacina.

 

Comente esta Noticia
Notícias Relacionadas