MSRepórter - Notícias de Campo Grande-MS
21/08/2018
20 de fevereiro de 2018 às 09h50 | Economia

Dólar sobe e se aproxima de R$ 3,25 após governo desistir da reforma da Previdência

Na véspera, a moeda norte-americana fechou em alta de 0,41%, vendida a R$ 3,2337

Por: G1

O dólar iniciou a terça-feira (20) em leve alta e se aproximando de R$ 3,25, acompanhando a trajetória no exterior e após o governo desisitir de votar a reforma da Previdência neste ano, considerada essencial para colocar as contas públicas do país em ordem, destaca a Reuters.

Por volta das 11h00, o dólar avançava 0,42%, a R$ 3,2473 na venda. Veja a cotação.

Na véspera, a moeda norte-americana fechou em alta de 0,41%, vendida a R$ 3,2337.

"O mercado já esperava o enterro da reforma", afirmou o superintendente da Correparti Corretora, Ricardo Gomes da Silva, ao citar as cotações "comportadas" e a sintonia com o cenário externo.

Na véspera, o governo formalizou que não votará a reforma da Previdência agora, como era previsto, sob a justificativa do decreto de intervenção federal no Rio de Janeiro. Como paliativo, anunciou um conjunto de medidas econômicas, boa parte já em tramitação no Congresso, numa tentativa de reafirmar o compromisso com o equilíbrio fiscal.

"O pacote é inócuo. O governo tenta jogar alguma migalha para o mercado com as medidas, que igualmente (à Previdência) terão que ser aprovadas pelo Congresso", acrescentou Gomes da Silva, ao lembrar da falta de apoio agora para passar a Previdência.

Entre as medidas, estão a privatização da Eletrobras e a autonomia do Banco Central.

"O governo não criou uma pauta nova. Só anunciou novamente. Não faz preço", afirmou à Reuters o gerente da mesa de câmbio do banco Ourinvest, Bruno Foresti, acrescentando que aumentam as expectativas de possível novo rebaixamento da nota do Brasil por agências de rating.

A trajetória de alta da divisa norte-americana acompanhava a cena externa, onde o dólar dava continuidade à recuperação da mínima de três anos contra a cesta de moedas, tendo recuperado 1,5% desde sexta-feira (16) diante da visão de que deveria passar por uma correção após fortes vendas nas últimas semanas, segundo a Reuters.

O dólar também subia ante moedas de países emergentes, como os pesos chileno e mexicano.

Interferência do BC

O Banco Central brasileiro fará nesta sessão novo leilão de até 9,5 mil swaps cambiais tradicionais (equivalentes à venda futura de dólares) para rolagem dos contratos que vencem em março, no total de US$ 6,154 bilhões.

Mantido esse volume diário até o final do mês e vendendo os lotes todos, rolarão integralmente os swaps que vencem agora.

Comente esta Noticia
Notícias Relacionadas