MSRepórter - Notícias de Campo Grande-MS
17/01/2018
08 de janeiro de 2018 às 09h05 | Geral

Escritório e novos projetos vão fomentar a economia em 2018

O fortalecimento das incubadoras é fator fundamental para o desenvolvimento do empreendedorismo

Por: PMCG

A Prefeitura de Campo Grande, por meio da Secretaria Municipal de Desenvolvimento Econômico, da Ciência e Tecnologia e do Agronegócio, prepara uma extensa agenda de atividades para 2018, baseada em ações previstas no Planejamento Estratégico. Essas ações garantirão bons frutos para a economia da Capital.

A inauguração do escritório da Sedesc, em parceria com a Agraer, em Anhandui, é uma das apostas do agronegócio. O Escritório, inaugurado em dezembro de 2017, se constituirá em uma ferramenta fundamental para o desenvolvimento econômico da região de Anhandui.

A partir de agora, o acesso às políticas públicas existentes, bem como a construção de políticas públicas especificas para a região, poderão ser articuladas por meio desse escritório. Em especial, a agricultura familiar da região será atendida diretamente pelo escritório, além de ter como apoio de toda a estrutura da Sedesc e da Agraer para a construção e execução de planos e projetos voltados para o desenvolvimento sócio econômico da região. A Sedesc já deu início ao trabalho de identificação de áreas públicas naquele Distrito que sejam propícias para instalação de empresas, gerando renda e criação de novos postos de trabalho.

Outra excelente aposta do agronegócio da Sedesc para 2018 é o projeto Dinâmica da Mandioca. O Município de Campo Grande é um grande consumidor de mandioca, um prato típico da culinária local. No entanto, sua produção no Município é muito baixa, sendo necessário que um grande volume do produto seja importado de outros estados. A partir dessa constatação, surgiu a idéia de fomentar a produção local, gerando maior renda aos produtores.

Realizado em parceria com a Embrapa, o projeto pretende ampliar a produção de mandioca de mesa através da agricultura familiar, desenvolvendo a produção de dois cultivares que estão sendo pesquisados na Embrapa de Dourados.

Eleita pela Organização das Nações Unidas (ONU) como o alimento do século 21, a mandioca é considerada uma das culturas mais antigas do Brasil, encontrada em terras brasileiras antes da chegada dos colonizadores.

Novas empresas

A Sedesc fechou o ano comemorando a aprovação de 65 projetos no Conselho de Desenvolvimento Econômico, que devem injetar cerca de R$ 800 milhões na economia local, através de empresas que receberão incentivos com objetivo de gerar emprego, renda e recursos financeiros para o Município. Com esses investimentos deverão ser gerados cerca de três mil novos empregos.

“Retomamos, com as reuniões do Codecon, uma atividade que andava a passos lentos até o início da administração do prefeito Marquinhos Trad. O fortalecimento desse Conselho trouxe resultados altamente positivos, com aprovação de projetos que estavam represados na própria secretaria, bem como análise e aprovação de projetos protocolados ao longo deste ano”, comentou o secretário da Sedesc, Luiz Fernando Buainain.

A Prefeitura tem atualmente 285 hectares à disposição de empresas que pretendem investir em Campo Grande, conforme regras previstas no Programa de Desenvolvimento Econômico e Social de Campo Grande. Já está em poder do prefeito Marquinhos Trad a minuta do projeto de lei contendo as alterações propostas pela Comissão de Estudos para Alteração da Lei do Prodes. O trabalho dessa comissão terminou em novembro passado e resultou em alterações à citada lei, adequando o texto final às necessidades atuais do setor produtivo de Campo Grande – a lei original é de 1999. A Sedesc está agendando reuniões para que o texto produzido pela seja agora apresentado à Câmara de Vereadores e a entidades do setor produtivo.

Durante o ano de 2017 a Superintendência de Indústria e Comércio da Sedesc atendeu mais de 400 empresários e, com o ambiente favorável ao debate criado no CODECON, a perspectiva para 2018 é de que o recorde de projetos aprovados (65) no primeiro ano da gestão Marquinhos Trad seja superado.

 “Estamos otimistas quanto aos resultados esperados para 2018”, afirma o secretário da Sedesc. Para ele, a celeridade no trabalho de preparação da base, realizado em 2017, vai começar a apresentar efeito positivo a partir deste ano.

“Os empresários locais e de outros estados passaram a confiar nas decisões tomadas nas reuniões do Codecon. As sondagens que muitas empresas fizeram em 2017 deverão resultar em possíveis projetos a serem protocolados futuramente”, completou o secretário.

Outro ponto favorável para que as potencialidades de Campo Grande sejam apresentadas a prováveis investidores dos grandes centros é a inauguração do escritório de Representação da Sedesc em São Paulo, a ser realizada no dia 19 de fevereiro, com presença do prefeito Marquinhos Trad. O governador Reinaldo Azambuja também inseriu esse evento em sua agenda oficial. A SEDESC elaborou materiais institucionais – vídeo e folder bilíngüe – como instrumentos para visualização das oportunidades que Campo Grande oferece para novas empresas que aqui querem investir.

As Incubadoras Municipais também receberam atenção especial da Sedesc – foi designado um servidor para cuidar especificamente das quatro incubadoras. Além disso, os espaços físicos foram readequados, dentro das possibilidades financeiras, e a Prefeitura realizou chamada pública para novos incubados, sendo selecionadas seis empresas interessadas em participar do projeto.

O fortalecimento das incubadoras é visto como fator fundamental para o desenvolvimento da função da Sedesc na área de apoio à inovação e empreendedorismo.

Tecnologia

Fomentar a criação do Parque Tecnológico de Campo Grande, vocacionado às cadeias produtivas locais, é um dos pontos importantes do programa de governo do prefeito Marquinhos Trad.

A Sedesc, motivada em cumprir esse compromisso, realizou visita aos parques tecnológicos localizados em cidades de Santa Catarina, estado referência em tecnologia em todo o país; servidores da Sedesc também participaram de eventos no Rio de Janeiro e em Brasília.

“As perspectivas para criação do Parque Tecnológico de Campo Grande são boas e para este ano estão previstas reuniões visando formalização de proposta para esse fim”, informa o secretário Luiz Fernando Buainain. Dessas reuniões, além da Prefeitura, deverão participar diversos segmentos do setor produtivo local.

Balanço

Um dos destaques no trabalho da Sedesc em 2017 foi o lançamento do programa Exporta Campo Grande, que utilizará ferramenta elaborada pela startup Intradebook, de Santa Catarina. Essa ferramenta tecnológica ensina às empresas o passo a passo para importar e exportar, criando ambiente necessário à internacionalização do mercado produtivo de Campo Grande e, por extensão, de Mato Grosso do Sul. Atualmente, num universo de 100 mil empresas existentes no Estado, apenas 95 exportam seus produtos. Com o programa Exporta Campo Grande, a Sedesc espera ampliar pelo menos para 250 empresas esse número em dois anos.

A revitalização da Feira de Orgânicos realizada semanalmente na Praça do Rádio e o projeto Rota do Sabor – realizado com 40 produtores da região da Chácara das Mansões – também merecem destaque no setor de Agronegócios.

Com o objetivo de promover a cultura empreendedora em Campo Grande, a Sedesc implantou a disciplina de empreendedorismo no Instituto Mirim de Campo Grande, em parceria com SEBRAE/MS. Várias ações foram desenvolvidas com o objetivo de despertar o empreendedorismo nos jovens, dentre elas um Circuito de Palestras com temas variados, tais como: comportamento empreendedor; tendências inovadoras e sua aplicação ao ambiente de negócios; a importância da inovação no ambiente de negócios e liderança motivacional.

 

 

 

Comente esta Noticia
Notícias Relacionadas