MSRepórter - Notícias de Campo Grande-MS
19/09/2017
05 de dezembro de 2016 às 12h27 | Interior

Força Nacional ficará mais 30 dias em Caarapó, MS, determina ministério

Portaria com prorrogação foi publicada no Diário Oficial da União

Por: G1
G1

A Força Nacional de Segurança Pública deve ficar mais 30 dias em Caarapó, na região sul de Mato Grosso do Sul. Portaria do Ministério da Justiça e Cidadania com determinação foi publicada no Diário Oficial da União desta segunda-feira (5).

Segundo a publicação, a autorização de emprego da tropa foi prorrogada a partir do vencimento da portaria de julho e conta a partir desta segunda-feira.

Desde junho, a Força Nacional atua, em apoio à Polícia Militar (PM), nos conflitos agrários envolvendo disputas territoriais, com objetivo de garantir a segurança das pessoas, do patrimônio e a manutenção da ordem pública no município.

O governador de Mato Grosso do Sul, Reinaldo Azambuja, enviou ofício ao ministério, no dia 27 de outubro, solicitando a prorrogação do emprego da Força Nacional em Caarapó.

A segurança foi reforçada na região desde o dia 16 de junho, dois dias depois que o agente de saúde indígena Clodiode Aquileu Rodrigues de Souza, de 26 anos, foi morto a tiro durante confronto entre índios e fazendeiros na Terra Indígena Dourados-Amambaipeguá.

A Terra Indígena Dourados Amambaipeguá I abriga quatro comunidades (tekoha) denominadas Javorai Kue, Pindo Roky, Km 20/ Urukuty e Laguna Joha, com população aproximada de 5.800 pessoas, de acordo com a Funai.

Devido ao processo de expropriação dos territórios indígenas, que ali teve início em 1882 com o início da atividade de produção de erva-mate e a chegada de colonos gaúchos após a Guerra do Paraguai (1864 a 1870), os guarani-kaiowá passaram a viver dispersos pela região, conforme a fundação.

Comente esta Noticia
Notícias Relacionadas