MSRepórter - Notícias de Campo Grande-MS
25/10/2020
20 de julho de 2020 às 12h15 | Saúde

Força-tarefa fecha cerco contra descumprimento de decretos em Campo Grande

Provocada pelo Ministério Público Estadual, Prefeitura da Capital pediu apoio da Polícia Militar para ampliar fiscalização

Por: Portal do Governo de Mato Grosso do Sul
Integrantes da Polícia Militar e do Ministério Público de Mato Grosso do Sul (MPMS) vão reforçar a fiscalização para o cumprimento das medidas de combate à Covid-19 em Campo Grande a partir desta segunda-feira (20.07). Entre as ações adotadas pelo município estão o toque de recolher das 20h até às 5h e o fechamento de serviços não essenciais, como bares e restaurantes, aos finais de semana. O governador Reinaldo Azambuja ressaltou que o momento é de união de esforços para impedir o avanço da Covid-19 em Mato Grosso do Sul. Para ele, “as ações do poder público serão efetivas com a adesão da população”. “É importante nesse momento que todos se esforcem para o cumprimento dos decretos. Só assim vamos desafogar os hospitais. Nossa preocupação é com o atendimento digno de saúde para todas as pessoas”, frisou o governante. Detalhes da força-tarefa foram acertados hoje pela manhã durante reunião entre o procurador-geral de Justiça do MPMS, Alexandre Magno de Lacerda, o governadora e o prefeito Marquinhos Trad. Também estavam presentes no encontro o secretário estadual de Justiça e Segurança Pública de MS, Antônio Carlos Videira, e o comandante-geral da Polícia Militar, coronel Marcos Paulo Gimenes. “Em face aos números crescentes do coronavírus e com o dever de proteger a sociedade sul-mato-grossense, tivemos a iniciativa de criar essa força-tarefa para fiscalizar o cumprimento do último decreto municipal. Nosso objetivo é evitar a contaminação em massa e a superlotação das UTIs. Queremos evitar que as pessoas morram sem qualquer tipo de atendimento médico”, afirmou Lacerda. Com a ação conjunta em busca de atitudes enérgicas nas abordagens, as autoridades municipais e estaduais vão reprimir os infratores. Pessoas que forem pegas quebrando as regras vão sofrer consequências previstas nos decretos. “Nós, integrantes do Ministério Público e da PM, vamos acompanhar as forças de segurança de Campo Grande em toda a cidade para cobrar o cumprimento do decreto”, avisa o chefe do MPMS. Cobrada pelo Ministério Público, a Prefeitura da Capital pediu apoio da Polícia Militar para fechar o cerco contra as pessoas que não cumprem as medidas de combate à doença. Segundo as autoridades municipais, no último fim de semana cerca de 200 notificações foram emitidas - para estabelecimentos que insistem em abrir fora do horário permitido e pessoas que saem às ruas em busca de serviços não essenciais. “Discutindo os efeitos da inobservância aos decretos municipais, principalmente em Campo Grande, decidimos por colocar em prática medidas de apoio às fiscalizações não só na Capital, mas em qualquer município de MS onde for necessário - a exemplo do que já estamos fazendo com os postos de fiscalização sanitária montados nas fronteiras e nas divisas do Estado”, destacou o secretário Videira. “Estamos fazendo levantamento para colocar todo nosso efetivo à disposição para atender a Prefeitura de Campo Grande e os demais municípios que precisarem. Colocaremos nosso efetivo que já está pronto, o que está em formação e ainda faremos algumas escalas extraordinárias. A Polícia Militar está à disposição para os serviços de apoio às fiscalizações”, pontuou o comandante-geral da PM.
Comente esta Noticia
Notícias Relacionadas