MSRepórter - Notícias de Campo Grande-MS
20/04/2018
24 de janeiro de 2018 às 10h19 | Geral

Governo conclui obra reivindicada há mais de 15 anos por assentados e produtores de Maracaju

Pavimentação da MS-460 corta uma das regiões mais produtoras de grãos de Mato Grosso do Sul

Por: GOV MS
Divulgação/GOV MS

 

O governador Reinaldo Azambuja entrega no dia 27.1, em Maracaju, uma das obras rodoviárias mais emblemáticas de sua administração: a pavimentação de 49,6 km da MS-460, rodovia que dá acesso ao distrito de Água Fria e interliga a região ao entroncamento com a BR-060 e a MS-162. Com recursos próprios (R$ 65,2 milhões), a obra foi concluída em duas frentes de serviço e o Estado já quitou o valor com as empresas construtoras.

A pavimentação da MS-460 beneficiará diretamente usinas, produtores de soja e milho e as 222 famílias de pequenos agricultores do Assentamento Santa Guilhermina. A produção de hortifrutigranjeiros, mandioca e feijão do projeto de colonização agrária é destinada à merenda escolar da rede municipal de ensino e também abastece a Ceasa, em Campo Grande. O asfalto mudará a realidade de uma região que ficava isolada em época de chuvas.

A chegada da infraestrutura em Água Fria reduzirá em quase 80 km a distância que os caminhões percorrem para escoar a produção do assentamento até Maracaju, em época de chuvas. “Quando chove, não tinha como sair a produção pela MS-460, devido aos atoleiros, e ficavámos praticamente isolados”, afirma o presidente da associação dos parceleiros, Ovanio José Costa. “A gente usava um desvio de 170 km para chegar à cidade.”

Asfalto atende usina

A implantação do primeiro trecho de pavimento da rodovia, de 14 km, ocorreu ainda no governo de José Orcírio Miranda dos Santos, o Zeca do PT, em 2002, a partir do entroncamento com a MS-162 (acesso a Maracaju). De lá para cá, a retomada da obra foi protelada até 2015, quando o governador Reinaldo Azambuja assumiu o compromisso com a classe produtora da região de concluí-la. A obra foi reiniciada em setembro daquele ano.

“Esse asfalto atende a um corredor de produção de grãos e cana em franca expansão e vai garantir trafegabilidade em um período crucial, que é o escoamento, eliminando, definitivamente, os atoleiros, que prejudicam não só quem produz, mas os trabalhadores, os alunos da escola rural e os assentados”, destacou Reinaldo Azambuja.

Um dos maiores beneficiários, segundo o governador, é a unidade local da usina de álcool da Biosev, com cujos diretores ele esteve recentemente discutindo a retomada das atividades do grupo em Maracaju – a paralisação acarretou em grandes prejuízos ao município. O maior argumento do Estado ao cobrar uma posição da Biosev, na avaliação de Reinaldo Azambuja, é o fato de o asfalto da MS-460 passar em frente à usina, o que reduzirá seus custos de transporte.

100% em infraestrutura

Para o secretário estadual de Infraestrutura, Marcelo Miglioli, a pavimentação da rodovia é um dos grandes empreendimentos rodoviários do governo. “Água Fria é uma região em franca expansão agrícola e enfrentava atoleiros e até o isolamento em época de chuvas”, citou. “É uma obra tecnicamente necessária, o governo não faz politicagem para beneficiar este ou aquele; trabalha com seriedade para atender as demandas da cidade e do campo.”

Segundo Miglioli, a região de Maracaju, maior produtora de grãos do Estado, conta hoje com 100% de suas estradas estaduais implantadas, recapeadas e encascalhadas. “Quem conhece a região sabe das dificuldades para se locomover em períodos chuvosos, e em três anos o Governo do Estado atendeu as demandas dos produtores e das comunidades locais, garantindo não apenas o escoamento da produção, mas o direito de ir e vir das pessoas”, completou.

Assentados comemoram

Para o produtor rural Juliano Schmaedecke, ex-presidente do Sindicato Rural de Maracaju, a obra não beneficia apenas o setor produtivo, mas também a comunidade de Água Fria e, principalmente, o transporte, pela prefeitura, dos alunos das fazendas que estudam na cidade. “O asfalto, na realidade, garante o ir e vir de caminhões e pessoas, o que era impossível quando chovia, pois a estrada ficava intransitável, e trará um grande impulso à região”, disse.

Localizado em uma região de grande produção de grãos (soja e milho), o Assentamento Santa Guilhermina está em franca expansão agrícola com o apoio técnico da Agência de Desenvolvimento Agrário e Extensão Rural (Agraer). A chegada do asfalto anima os pequenos produtores, que enfrentavam dificuldades de acesso. “O asfalto da Água Boa vai melhorar a vida de todos no assentamento”, comemora o assentado Ramão André Garcia, 46.

“Antes do Reinaldo a gente não tinha nada, nem estrada”, conta o agricultor, que cultiva hortaliças, mandioca e feijão em sua gleba. Com recursos próprios e do Programa de Fortalecimento da Agricultura Familiar (Pronaf), o Estado já destinou mais de R$ 2 milhões ao assentamento para projetos, custeio, óleo diesel e sementes. Recentemente, o governador Reinaldo Azambuja doou à comunidade uma patrulha mecanizada no valor de R$ 160 mil.

Comente esta Noticia
Notícias Relacionadas