MSRepórter - Notícias de Campo Grande-MS
18/10/2017
20 de junho de 2017 às 13h27 | Rural

Governo do Estado garante controle mais eficiente do trânsito de animais na fronteira

Dos mais de 700 mil animais da zona de fronteira, cerca de 550 mil já foram identificados

Por: GOVMS

Desde a instalação do programa que permite que os produtores de Mato Grosso do Sul emitam as Guias de Trânsito Animal (GTA’s), através da internet, o trabalho de modernização dos sistemas da Agência Estadual de Defesa Sanitária Animal e Vegetal (Iagro) está sendo realizado com foco em mais segurança, redução de custos e, principalmente, na melhoria da eficiência para o usuário.

Em relação à fronteira, região onde até há pouco tempo existiam restrições para exportação de carne por causa do foco de aftosa registrado há 12 anos, o Governo do Estado sempre teve atenção especial. Buscando cumprir todos os acordos para derrubar as restrições e equiparar as condições da região de fronteira ao restante do Estado – que é um dos maiores exportadores de carne in natura do País – foram realizados nos últimos anos importantes trabalhos preventivos e de modernização dos sistemas. A identificação individual dos animais resultou na reabertura das exportações para um importante mercado, a União Europeia.

Aproveitando o período de vacinação contra a febre aftosa, onde a equipe da Iagro participa ativamente, o trabalho de identificação na região de fronteira foi intensificado, devendo ser finalizado nos próximos noventa dias.

Desde a instalação do programa que permite que os produtores de MS emitam as GTA’s, por meio da internet, o trabalho de modernização dos sistemas da Iagro está sendo realizado com foco em mais segurança e redução de custos.

Sobre esse trabalho, o diretor presidente da Iagro, Luciano Chiochetta, fez questão de destacar o apoio das instituições representativas da classe produtora, o empenho da Secretaria de Estado de Meio Ambiente, Desenvolvimento Econômico, Produção e Agricultura Familiar (Semagro), mas principalmente a participação ativa dos produtores no processo, que culminou inclusive na solução de um entrave de ordem pratica que surgiu na implantação do sistema de identificação individual eletrônica.

“Para evitar que o produtor ficasse totalmente dependente desse agendamento para realizar suas transações, reunimos Estado, Famasul e Sindicato Rural [de Bela Vista] para buscar uma solução que não reduzisse a segurança e oferecesse agilidade ao processo’, afirmou. Luciano explicou que antes, os criadores da fronteira precisavam agendar a presença de um profissional da Iagro para que fosse feita a leitura dos brincos dos animais identificados e realizada a inserção dessa informação no sistema.

O apoio das instituições representativas da classe produtora, o empenho da Semagro, mas principalmente a participação ativa dos produtores no processo, fazem a diferença.

A solução encontrada foi treinar os produtores para uso das máquinas que fazem a leitura dos brincos e colocar pelo menos cinco desses equipamentos disponíveis no Sindicato Rural de Bela Vista. “Essa solução está sendo testada em forma de projeto piloto em Bela Vista. Avaliaremos nas próximas semanas o resultado e só então faremos a ampliação desse trabalho”, explicou o diretor da Iagro.

Dos mais de 700 mil animais da zona de fronteira, cerca de 550 mil já foram identificados individualmente e tem seu trânsito controlado pela Iagro em tempo real. “Temos que trabalhar de forma permanente para ampliar a segurança sanitária do rebanho. Nossa meta é estarmos preparados para mudar nosso status e ter um rebanho livre de febre aftosa sem vacinação. A defesa sanitária é um trabalho de todos, mas o elo mais importante é o pecuarista’, comentou o Secretário de Estado de Meio Ambiente, Desenvolvimento Econômico, Produção e Agricultura Familiar, Jaime Verruck.

Modelo para o País tanto na prevenção da febre aftosa, com elevada eficiência vacinal, quanto no trabalho de orientação e fiscalização do período de vazio sanitário da soja, a Iagro é pioneira na utilização do programa de identificação e sua evolução tem sido observada de perto por outros Estados e Países.

Comente esta Noticia
Notícias Relacionadas