MSRepórter - Notícias de Campo Grande-MS
18/01/2021
25 de novembro de 2020 às 10h21 | MS

Governo entrega veículos para potencializar produção de erva-mate na faixa de fronteira

O Governo do Estado quer potencializar a produção da erva-mate em 10 municípios da faixa de fronteira de Mato Grosso do Sul. Para isso, entregou 12 veículos de assistência técnica à Agraer (Agência de Desenvolvimento Agrário e Extensão Rural) nesta terça-

Por: Portal do Governo de Mato Grosso do Sul
Comprados em parceria com a Sudeco (Superintendência do Desenvolvimento do Centro-Oeste), os automóveis vão beneficiar 210 produtores de erva-mate de Amambai, Antônio João, Aral Moreira, Coronel Sapucaia, Iguatemi, Japorã, Laguna Carapã, Paranhos, Ponta Porã/Assentamento Itamarati e Tacuru. “95% da erva-mate consumida em Mato Grosso do Sul vem de fora do Estado. Já fomos produtor no passado. Por isso, é importante que a gente retorne com esse processo. Não é fácil. É uma cultura difícil, que exige cuidados com as mudas. Mas é um projeto que tem toda a lógica para que ele dê certo e avance”, destacou o secretário Jaime Verruck, da Semagro (Secretaria de Estado de Meio Ambiente, Desenvolvimento Econômico, Produção e Agricultura Familiar).A produção de erva-mate no Estado atualmente alcança 1,5 mil toneladas por ano, com 268 hectares de plantio, conforme dados do IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística). A meta do Governo do Estado e da Sueco, dentro do projeto de estímulo à cadeia produtiva da erva-mate, é implantar 260 hectares de novos ervais, aumentando pelo menos 7,4 mil toneladas por ano para atender as indústrias. “Esse é um projeto que se iniciou em 2013. Foram muitos anos de esforços para irem se adequando, com muita pesquisa e treinamento. É um projeto de arranjo produtivo local, uma forma de levar desenvolvimento às pessoas”, pontuou o superintendente da Sudeco, Nelson Vieira. Resgate econômico e cultural O governador Reinaldo Azambuja acompanhou a entrega dos veículos e falou sobre o projeto da erva-mate nos municípios da faixa de fronteira. “É um sonho de tempos. A erva-mate faz parte da história de Mato Grosso do Sul. A região de fronteira precisa voltar às suas origens, produzindo com sustentabilidade e com ganhos ao produtor”, ressaltou.
Comente esta Noticia
Notícias Relacionadas