MSRepórter - Notícias de Campo Grande-MS
12/12/2017
04 de outubro de 2016 às 15h22 | Geral

Governo investe R$ 7,5 milhões em programas de ciência, tecnologia e inovação

Os editais de incentivo à pesquisa e a relação dos projetos aprovados para as bolsas estão no DOE

Por: NotíciasMS

O Governo do Estado está investindo mais de R$ 7,5 milhões para fomentar a área científica e tecnológica. O investimento soma recursos destinados à pesquisa e à concessão de bolsas de mestrado e doutorado, por meio da Fundação de Apoio ao Desenvolvimento do Ensino, Ciência e Tecnologia do Estado de MS (Fundect).

Os 11 editais de incentivo à pesquisa e a relação dos projetos aprovados para as bolsas foram publicados na edição desta terça-feira (4) do Diário Oficial e também no site da Fundect (www.fundect.ms.gov.br). A publicação dos editais foi autorizada na segunda-feira (3) pelos secretários de Estado de Governo e Gestão Estratégica (Segov), Eduardo Riedel, e de Cultura, Turismo, Empreendedorismo e Inovação (Sectei), Renato Roscoe, juntamente com o diretor-presidente da Fundect, Marcelo Turine.

Separadamente, os recursos destinados para incentivo à pesquisa, em diversas áreas do conhecimento, ultrapassam os R$ 3 milhões, enquanto que para as bolsas o investimento se aproxima dos R$ 4,5 milhões. Foram aprovadas 60 bolsas de mestrado, no valor de R$ 1.500,00 mensais, pelo período de 24 meses, totalizando R$ 2.160.000,00. Para o doutorado, são 30 bolsas de R$ 2.200,00 por um período de 36 meses, totalizando R$ 2.376.000,00.

Para Riedel, a experiência de outros países mostra que a geração de riqueza, emprego, renda e oportunidades, a diversificação produtiva e o aumento do valor agregado na produção de bens e serviços depende do fortalecimento da pesquisa e inovação. “O desenvolvimento econômico está assentado na inovação, no desenvolvimento científico e tecnológico. O que coloca as políticas de ciência, tecnologia e inovação como eixo central na retomada do crescimento”, defendeu o secretário, destacando que o avanço das pesquisas é suporte para a mudança na matriz econômica e social do Estado e do País.

Riedel destaca também a recente conquista do Estado no ranking da competitividade. Mato Grosso do Sul subiu quatro posições, passando da 9ª para a 5ª posição nacional, segundo o levantamento da consultoria britânica Economist Intelligence Unit (EIU), “É fruto de um olhar estratégico nas áreas de educação e inovação”, conclui.

De acordo com o professor Marcelo Turine, é com esse olhar que o Governo do Estado investe na atração de novos pesquisadores, com objetivo de aumentar a qualidade e a competitividade dos programas de pós-graduação. “A novidade dessa vez é o lançamento de um edital inédito para a consolidação da formação acadêmica do estudante através de atividades de extensão e de pesquisa. Serão destinados R$ 400 mil para incentivar e fortalecer os PETs e a iniciação científica nas universidades, apoiando projetos interdisciplinares com foco na gestão da política pública com objetivo de diminuir da evasão acadêmica e valorizar a articulação das atividades de ensino, pesquisa e extensão, com significativa contribuição para a melhoria dos indicadores do desenvolvimento educacional do Estado”, afirmou Turine.

Também serão contemplados programas como a Rede Pró Centro-Oeste, que receberá R$ 300 mil para fomentar a qualificação e a competitividade dos níveis de ensino do Programa de Pós-Graduação Stricto Sensu – Doutorado em Biotecnologia e Biodiversidade da Rede Pró-Centro-Oeste. O recurso será aplicado em projetos do curso, custeando ações de extensão e intercâmbios.

Outro destaque é a chamada pública do Programa de Apoio aos Eventos Científicos (PAE), que vai liberar R$ 500 mil para custeio de propostas para organização e realização de eventos regionais, nacionais ou internacionais de cunho científico, tecnológico e de inovação. Foram lançados ainda editais para atender demandas específicas, como é o caso do Geopark Bodoquena-Pantanal, Sanidade Animal, Controle Biológico e o manejo do Javali, que juntos receberão o total de mais de R$ R$ 1,5 milhão para o financiamento de projetos.

Com a iniciativa, espera-se fortalecer a pesquisa e a inovação no Estado, consolidando a integração das áreas da Ciência e Tecnologia a base do desenvolvimento econômico regional. Foram aprovados projetos das seguintes instituições: UFMS, UFGD, UEMS e UCDB.

Comente esta Noticia
Notícias Relacionadas