MSRepórter - Notícias de Campo Grande-MS
09/04/2020
10 de março de 2020 às 07h00 | Trânsito

Governo Presente: com mais veículos do que pessoas, Capital recebe investimentos em mobilidade

Saúde, esporte, cultura e educação também são contemplados

Por: Portal do Governo de Mato Grosso do Sul

Governo Presente: com mais veículos do que pessoas, Capital recebe investimentos em mobilidade Paulo Fernandes Juntos por Campo Grande.

Com 50% mais veículos do que pessoas, Campo Grande vai receber um investimento superior a R$ 180 milhões para melhorar o deslocamento, além de centenas de milhões em saúde, esporte, cultura e educação.

O pacote de obras e ações do programa Governo Presente, no valor de R$ 4,2 bilhões, contempla os 79 municípios do Estado. Um dos destaques nos investimentos anunciados para a Capital é o novo acesso às Moreninhas, a partir da avenida Guaicurus – um sonho antigo dos moradores da região. Outro é a revitalização de uma das principais avenidas da Capital: a Mato Grosso. Serão recapeados 2,84 quilômetros, da Rua Ceará à Avenida Calógeras.

Rotatória a Avenida Mato Grosso acabou com problema de engarrafamento.Além disso, o Governo do Estado, em parceria com a Prefeitura, vai pavimentar mais de 80 quilômetros, beneficiando seis bairros: Nova Campo Grande, Nova Lima, Seminário, Sírio Libanês, Atlântico Sul e Vila Nasser. A lista de obras em mobilidade conta com a conclusão do novo acesso à UCDB (Unidade Católica Dom Bosco), pela Rua Marechal Câmara, no Jardim Seminário; o recapeamento da Avenida Florestal, principal via comercial do Conjunto Coophatrabalho; e o acesso ao Polo Industrial Norte. São projetos fundamentais para acompanhar a expansão da cidade.

De acordo com o IBGE, a frota é de 590 mil para uma população de 895 mil pessoas. Isso representa uma proporção de dois veículos – como automóveis, motocicletas, caminhonetes e camionetas – para cada grupo de três pessoas. Um investimento adequado em mobilidade pode até salvar vidas.

De acordo com o consultor em Segurança Viária da Organização Pan-Americana da Saúde/Organização Mundial da Saúde (Opas/OMS), Victor Pavarino, o motorista que perde tempo em um engarrafamento, passa a dirigir de forma mais agressiva nos trechos seguintes para compensar o atraso, aumentando os riscos de acidentes e mortes. “A fluidez muda o humor geral da questão de trânsito.

O engarrafamento, quando você passa por ele, acaba compensando depois e dirige de forma mais agressiva”, explica. Não é de hoje que o Governo do Estado investe em mobilidade na Capital. Entre os exemplos estão a rotatória da avenida Mato Grosso com a Via Parque, que solucionou o problema crônico de engarrafamentos nos horários de pico, e a revitalização da Avenida Euler de Azevedo.

Comente esta Noticia
Notícias Relacionadas