MSRepórter - Notícias de Campo Grande-MS
22/05/2017
10 de março de 2017 às 10h43 | Geral

Indústrias de alimentação e laticínio vão debater alternativas para enfrentar ameaças à produção

Os setores estão atentos às novas reviravoltas fiscais

Por: Fiems
Divulgação/Fiems

O Siams (Sindicato das Indústrias de Alimentação do MS), Silems (Sindicato das Indústrias de Laticínios do Estado de MS), Sindepan (Sindicato das Indústrias de Panificação e Confeitaria do Estado de MS) e Sicadems (Sindicato das Indústrias de Frio, Carnes e Derivados do Estado de MS) promovem, nesta segunda-feira (13), às 19h30, no Edifício Casa da Indústria, em Campo Grande (MS), a 4ª rodada dos “Encontros Setoriais da Indústria – Compromisso com o Desenvolvimento”.

O evento faz parte de uma série de encontros realizados pelos principais sindicatos das indústrias do Estado com o objetivo de debater as melhores estratégias e alternativas para enfrentar as ameaças ao setor no Estado em meio à crise econômica. Durante esses eventos, os empresários terão a oportunidade de debater a geração de empregos e o aumento da produção, mantendo a competitividade das suas indústrias, além de discutir temas de interesse de cada segmento, tais como os caminhos para enfrentar os novos desafios, empregos e produção como base da economia, a crise e as ameaças para a indústria e produção e emprego e competitividade em risco.

Ao todo, serão realizadas cinco rodadas dos “Encontros Setoriais da Indústria – Compromisso com o Desenvolvimento”, sendo que a primeira foi no dia 13 de fevereiro, a segunda no dia 20 de fevereiro, a terceira no dia 6 de fevereiro, a quarta será nesta segunda-feira (13/03) e a quinta e última no dia 20 de março, sempre no período noturno, a partir das 19h30, no Edifício Casa da Indústria. Os eventos são organizados pelo Sindivest/MS, Sindigraf/MS, Sindical/MS, Sinduscon/MS, Sindicer/MS, Siams, Simemae/MS, Sindepan/MS, Sindmad/MS, Sicadems, Silems, Sindiplast/MS, Sindiecol e Biosul e para participar basta comparecer ao local na hora e na data marcada.

Líderes empresariais

O presidente do Sicadems, Ivo Cescon Scarcelli, alertou para o risco que a revisão de incentivos fiscais representaria para a indústria e, especificamente, para o segmento frigorífico. “Presenciamos o fechamento de várias plantas frigoríficas do Estado nos últimos anos, já temos altos níveis de desemprego e sérias dificuldades econômicas. Se, além da carga tributária que já incide sobre o comércio da carne, ainda perdermos os incentivos fiscais, teremos um futuro desastroso”, pontuou.

Segundo o presidente do Sindepan/MS, Marcelo Alves Barbosa, apesar de uma possível revisão de incentivos fiscais não impactar diretamente o segmento de panificação, os empresários estão temerosos com a persistência e o aumento da crise econômica. “Estamos na ponta do consumo e qualquer mudança no cenário econômico influência nas vendas. Já enfrentamos o aumento no imposto de supérfluos no começo do ano, então estamos atentos e preocupados com novas reviravoltas fiscais”, disse.

O presidente do Siams, Sandro Luiz Mendonça, ressalta que a união dos empresários é fundamental neste momento de dificuldades para o setor industrial. “O Siams abrange uma gama muito grande de empresas, da que produz ração animal à que vende alimentos naturais. Então foi possível vivenciar de maneira muito abrangente a recente crise econômica que, infelizmente, parece se intensificar. As empresas que estavam bem, começaram a se preocupar, e as que estavam preocupadas, estão prestes a quebrar”, relatou.

De acordo com a presidente do Silems, Milene de Oliveira Nantes, as empresas participarão em peso do Encontro Setorial, objetivando a elaboração de estratégias para alavancar o segmento de laticínios. “Trata-se de um segmento carente de políticas públicas. Dependemos de incentivos fiscais para atrair empresas, de auxílio para que o produtor rural consiga entregar o leite, de atenção especial para alavancar as vendas graças à sazonalidade da nossa matéria prima. Não podemos perder o auxílio que já conquistamos”, finalizou.

Laboral

O STIAA/CG (Sindicato dos Trabalhadores nas Indústrias de Alimentação e Afins de Campo Grande e Região) participa das discussões e também estará na 4ª rodada dos Encontros Setoriais da Indústria. De acordo com o presidente do STIAA/CG, Rinaldo Salomão, empresários e trabalhadores precisam se unir para evitar que o Estado quebre contratos e prejudique a sociedade como um todo.

 “Os trabalhadores estão vivendo num clima de estresse constante, com medo de perder o emprego. Sabemos que o mercado de trabalho está retraído e que novas contratações são cada vez mais raras, então precisamos da economia forte, do empresário confiante para manter os funcionários e contratar mais”, relatou Rinaldo Salomão.

Comente esta Noticia
Notícias Relacionadas