MSRepórter - Notícias de Campo Grande-MS
17/11/2017
31 de outubro de 2017 às 08h11 | Rural

Meta de MS é imunizar 8 milhões de animais na 2ª etapa de vacinação contra febre aftosa

A segunda etapa de vacinação contra a febre aftosa no Estado tem início nesta quarta-feira (1º/11)

Por: GOV MS
Divulgação/GOV MS

O Governo de Mato Grosso do Sul, por meio da Secretaria de Estado de Meio Ambiente, Desenvolvimento Econômico, Produção e Agricultura Familiar (Semagro) e da Agência Estadual de Defesa Sanitária Animal e Vegetal (Iagro), dá início nesta quarta-feira (1º/11), a segunda etapa de vacinação contra a febre aftosa no Estado. A meta é vacinar cerca de oito milhões de bovinos e bubalinos com até 24 meses de idade nas regiões do Planalto e de Fronteira e na região do Pantanal, de mamando a caducando, do rebanho de produtores que optaram pela vacinação só em novembro.

As vacinas devem ser aplicadas de 1º a 30 de novembro nas regiões de Fronteira e Planalto e o registro deve ser realizado até dia 15 de dezembro. Na região do Pantanal as vacinas devem ser aplicadas até 15 de dezembro e o registro deve ser realizado até 30 de dezembro.

Nas três regiões, o registro da vacinação deve ser realizado diretamente pelo produtor no site da Iagro ou em casos específicos, e a critério da Iagro, em seus escritórios locais.

REGIÃO           VACINAÇÃO     REGISTRO      

Fronteira           01/11 a 30/11    01/11 a 15/12    Animais até 24 meses

Planalto                          01/11 a 30/11    01/11 a 15/12     Animais até 24 meses

Pantanal           01/11 a 15/12    01/11 a 30/12    Todo o rebanho

O diretor-presidente da Iagro, Luciano Chiochetta, lembra que os pecuaristas devem aproveitar o manejo para vacinar as fêmeas de três a oito meses contra a brucelose e que maiores informações podem ser obtidas no disk aftosa 0800 67 9120.

Serviço de Defesa em MS

Mato Grosso do Sul tem se mantido entre os três estados com melhor percentual de cobertura vacinal do País e é destaque nacional pela excelência do serviço oficial de defesa agropecuária. Desde a incidência da doença há 11 anos no Estado, os bons resultados obtidos nas campanhas contra a febre aftosa, vem se repetindo.

Aliada ao cumprimento de compromissos como a identificação individual de todo rebanho da fronteira e ações permanentes de vigilância, a excelência vacinal contribuiu significativamente para a liberação das exportações de carne bovina in natura da região de Fronteira, para a União Europeia e adesão de MS ao Sistema Brasileiro de Inspeção de Produtos de Origem Animal (Sisbi-POA), medidas que ajudam a ampliar a competitividade da carne produzida no Estado que conta, atualmente, com fiscalização móvel, postos fixos, ações de vigilância nas propriedades, cadastro georreferenciado de todas as propriedades de fronteira e intensa fiscalização durante o período de aplicação da vacina.

Comente esta Noticia
Notícias Relacionadas