MSRepórter - Notícias de Campo Grande-MS
14/11/2019
12 de outubro de 2019 às 16h19 | Meio ambiente

MS 42 ANOS – O binônimo Bonito/Pantanal … de mergulhos a cavalgadas

Bonito é o principal município que integra o complexo turístico do Parque Nacional da Serra da Bodoquena, apresentando grande potencial e se destacando pelo turismo sustentável.

Por: Portal do Governo de Mato Grosso do Sul

São dezenas de atrativos de natureza, propiciando atividades de tirar o fôlego, entre flutuação ao lado de cardumes, balneários, cachoeiras, grutas e mergulhos radicais.

As águas cristalinas dos rios Formoso e da Prata e o Sucuri que atraem milhares de turistas, brasileiros e estrangeiros eram praticamente intocadas até a década de 1970. Quem desfrutava desta natureza era o gado das fazendas da região, além de um ou outro aventureiro.

Um dos proprietários do passeio Abismo Anhumas, o paulista Marcos Dias Soares, chegou à Bonito nos anos 70 junto com os pais que acabavam de adquirir a Fazenda Anhumas localizada nos limites de dois dos passeios mais famosos de Bonito: a Gruta do Lago Azul e o Abismo Anhumas.

A gruta, que já era conhecida na região, foi logo desapropriada pelo poder público, mas o abismo era apenas uma “fenda” no chão da propriedade, descoberta por um peão após um incêndio na mata local.

Em 1999, após início das pesquisas de mapeamento, treinamento e capacitação de pessoal o passeio foi aberto para o público.

O turismo começou a se desenvolver em 1992, quando os empresários resolveram se organizar e investir em hospedagem e treinamento de pessoal. Isto acontece logo depois de uma matéria no Globo Repórter que dedicou um programa inteiro ao paraíso das águas de Mato Grosso do Sul.

“Falar de Bonito hoje é fácil, mas naquela época as pessoas da cidade, os empresários, tiveram que lutar bastante para desenvolver o turismo”, conta.

De acordo com o último relatório do Observatório de Turismo e Eventos de Bonito (OTEB), o número de turistas que frequentaram os atrativos da cidade cresceu 6% comparado com o mesmo período em 2018 – saltou de 56.790 para 60.148 visitantes. Além das belezas naturais e passeios para todos os gostos, a cidade vem se tornando também um destino cultural.

Lá são realizados o já tradicional Festival de Inverno, além do Festival de Blues e Jazz e Feira Literária.

Comente esta Noticia
Notícias Relacionadas