MSRepórter - Notícias de Campo Grande-MS
15/12/2018
17 de setembro de 2018 às 10h58 | Geral

MS inicia plantio com meta de superar 10 milhões de toneladas de soja

Pelo menos 600 produtores rurais, estudantes e profissionais do setor participaram da abertura da safra

Por: Da Redação

Com meta de superar a produção de 10 milhões de toneladas, Mato Grosso do Sul abriu hoje (17) o plantio de soja da safra 2018/2019, na fazenda Jaraguá, em Terenos, a 25 km de Campo Grande. Pelo menos 600 pessoas participaram do ato, entre produtores, profissionais, estudantes do setor e lideranças rurais.

Na safra colhida em 2018, a produtividade da soja foi recorde, atingindo a média de 3.593 kg/ha, aumento de 5,7% em relação ao ano anterior. A produção foi de 9,6 milhões de toneladas, aumento de 11,9% em relação aos 8,5 milhões produzidos na safra anterior.

Dados do Siga (Sistema de Informações Geográficas do Agronegócio) – ferramenta de monitoramento da Aprosoja/MS –mostram que a área disponível para o plantio da oleaginosa subiu 4% nas duas últimas temporadas, saindo de 2,8 milhões para 3 milhões de hectares. A produtividade prevista para a safra iniciada hoje é de 59 sacas por hectare.

Para o presidente da Aprosoja (Associação dos Produtores de Soja de MS), Juliano Schmaedecke, a safra recorde é a comprovação da consolidação da agricultura em Mato Grosso do Sul.

“Em 20 anos a produção estadual de soja cresceu 320%. Esse resultado não seria possível sem o trabalho do agricultor sul-mato-grossense e sem o avanço das pesquisas. Por isso, quero agradecer o apoio da Embrapa, Fundação MS e Fundação Chapadão, instituições que nos ajudaram a difundir as mais diversas tecnologias – entre elas o plantio direto, que revolucionou a forma como cultivarmos a terra”, afirmou.

Para o presidente do Sistema Famasul, Maurício Saito, o desenvolvimento rural é fruto do trabalho de produtores rurais em parceria com a comunidade científica.

 “A agricultura de MS tem ambiente favorável à produção de soja, que apresentará aumento de área inferior a 5%, mas com capacidade de produção elevada, com expectativa de atingir 10 milhões de toneladas. Será um resultado inédito, amparado pela adesão de novas tecnologias de produção”, avalia Maurício Saito.

 

Comente esta Noticia
Notícias Relacionadas