MSRepórter - Notícias de Campo Grande-MS
21/11/2018
10 de maio de 2018 às 10h00 | Economia

Na abertura do Mês da Indústria, empresários discutem inovação e novos modelos de negócios

O público foi provocado a repensar o quanto as empresas investem, de fato, em tecnologia

Por: Assessoria
Divulgação/Fiems

Na cerimônia de abertura de “Maio - Mês da Indústria 2018”, realizada na noite desta quarta-feira (09/05) no Edifício Casa da Indústria, em Campo Grande (MS), pela Fiems e com patrocínio do Sebrae/MS, empresários e autoridades de Mato Grosso do Sul discutiram a 4ª Revolução Industrial e mudanças nos modelos de negócios advindas das novas tecnologias, que vão aumentar a produtividade e colocar a inovação no centro de todas as etapas dos processos produtivos.

O público foi provocado pelos especialistas em disrupção e economia transformadora Ricardo Amorim, Allan Costa e Arthur Igreja, que compõem a plataforma “Triple A”, a repensar o formato operacional e quanto as empresas investem, de fato, em tecnologia. O presidente da Fiems, Sérgio Longen, destacou que, diante das transformações no mundo dos negócios, todos precisam estar dispostos a mudar.

“A escolha é dirigir a mudança ou ser atropelado por ela. Nós, empresários, tivemos hoje a oportunidade de ouvir o que estes consultores de mercado têm a nos ensinar, viabilizando o que, normalmente, só seria possível obter investindo muitas e muitas horas preciosas em cursos, atualizações e palestras específicas. Aprendemos sobre inovação, algo que é de extrema importância para se manter competitivo e vivo no mercado”, ressaltou Longen sobre o evento.

Falando pela Triple A, Ricardo Amorim, que é economista a apresentador do programa Manhantan Connection, da Globo News, explica que a plataforma tem como objetivo atender um público ávido por análises do que está acontecendo em tecnologia e inovação no Brasil e no mundo. “Nossa ideia é ajudar empresas a terem inovação sem gastar muito tempo ou dinheiro, mostrando quais as novas tecnologias, suas implicações, como as empresas podem usa-las e, principalmente, tornar isso parte do dia a dia da empresa. As mudanças já estão acontecendo e quem não estiver inserido será atropelado por elas”, reforçou.

Allan Costa detalhou que a Triple A destacou a necessidade de ter um olhar diferenciado sobre as coisas e explicou as diferentes formas de disrupção existentes, dando exemplos de negócios bem-sucedidos. “Temos uma série de exemplos de disrupção e o pensamento disruptivo nada mais é do que enxergar o mundo com outros olhos. É pensar em algo que ninguém está fazendo e que você pode começar a fazer. Um exemplo é o Uber, que expandiu a proposta de valor com produtos na mesma plataforma, ou a Starbucks, que oferece uma experiência diferenciada de café aos seus clientes”, pontuou.

Já Arthur Igreja comentou sobre a velocidade da tecnologia nos negócios e alertou os empresários presentes sobre o perigo de definir uma empresa pelo produto. “Tudo o que puder ser digitalizado vai ser digitalizado, então as oportunidades estão nas coisas que não podem ser digitalizadas. Além disso, inovação não é ter uma grande ideia, nem criar um novo produto e um novo serviço. Inovação é melhorar as coisas chatas do dia a dia, é economizar energia”, argumentou.

Repercussão

Para o secretário estadual de Meio Ambiente, Desenvolvimento Econômico, Produção e Agricultura Familiar, Jaime Verruck, o Mês da Indústria é o momento para que a sociedade conheça a dimensão do setor industrial do Estado. “A Fiems mostra o quanto o setor representa em termos de geração de empregos e agregação de valor, gerando a possibilidade de mais investimentos na indústria local. Na abertura da programação tivemos a oportunidade de discutir a necessidade de o empresário estar aberto à novos modelos de negócios e tendências tecnológicas, porque é preciso, sem dúvidas, entender o que vai acontecer em um futuro próximo”, analisou.

Na mesma linha, o presidente da Comissão de Turismo, Indústria e Comércio da Assembleia Legislativa, deputado estadual Paulo Corrêa, acrescentou que o Mês da Indústria é um momento para mostrar como anda o desempenho do setor no Estado. “Muitas das conquistas do empresário da indústria em termos de linhas de crédito, infraestrutura logística para operar, se deve à liderança e articulação do Sérgio Longen, por isso é importante comemorar e mostrar o que vem sendo feito”, pontuou.

O superintendente do Sebrae/MS, Claudio Mendonça, reforçou que o micro e pequeno e grande empresário precisa estar atualizado sobre as tendências e inovações do mercado. “Pela primeira vez os três especialistas que compõem o Triple A estão reunidos em Mato Grosso do Sul, mostrando que a Fiems, em parceria com o Sebrae, oportuniza ao empresário local ter acesso ao conhecimento que se encontrar nos grandes centros”, disse.

Sistema Indústria

No evento de abertura do Mês da Indústria, as casas que compõem o Sistema Fiems – Sesi, Senai e IEL – apresentaram aos empresários presentes o portfólio de serviços e soluções disponibilizados para atender às necessidades do setor do Estado. “É uma oportunidade para o Sesi apresentar quais soluções o Sesi pode providenciar tanto na área de Saúde e Segurança do Trabalho quanto na área de Educação Continuada e Corporativa”, avaliou o superintendente-regional da instituição, Bergson Amarilla, ressaltando a questão das mudanças na legislação com a implantação do eSocial.

O stand do Senai reuniu os cursos de educação profissional e ensino superior da Faculdade de Tecnologia e Escola da Construção, além das consultorias do Senai Empresa. “O Senai vem fazendo um trabalho de imersão junto às indústrias para apresentar seu portfólio de serviços, e o momento é de atuar de forma mais específica, detalhando mais estes serviços e ampliando o leque para produtos que não estão na prateleira, mas que podem atender ao mercado com soluções mais personalizadas”, disse o diretor-técnico da instituição, Gilberto Schaedler.

“Um evento como a abertura do Mês da Indústria, com palestrantes que detém alto nível de conhecimento, atrai justamente o público alvo do IEL, e por isso é importante poder divulgar nossa cartela de produtos”, concluiu o superintendente do IEL, José Fernando Amaral, que apresentou as consultorias do CIN (Centro Internacional de Negócios), cursos da área de gestão empresarial e serviços da área de desenvolvimento de carreiras.

Empresários

O empresário Cláudio Salomão, da Íris Compressiva, destacou a importância do evento. “Acredito que também devemos festejar as conquistas do setor empresarial e o mês de maio vem para reforçar o papel da indústria para o desenvolvimento do nosso Estado. Além disso, a apresentação do ‘Triple A’ proporcionou uma reflexão sobre nossa forma de pensar com relação à tecnologia e novas oportunidades de negócios”, afirmou.

Para o empresário Guilherme Rinzler, da Ico Uniformes, o Mês da Indústria é uma forma de valorizar o setor. “Fico muito feliz de participar de um momento como esse, com um evento grandioso que traz conhecimento para toda a população e reforça a importância da indústria para Mato Grosso do Sul”, ressaltou.

Já o empresário, Miro Ceolin, da Tendência, elogiou a iniciativa da Fiems em promover o “Triple A”. “Acho o Ricardo Amorim fantástico e já viajei para o Rio de Janeiro e para São Paulo para assistir às palestras dele e não podia perder a oportunidade de participar desse evento, que ainda conta os empreendedores Allan Costa e Arthur Igreja. Acredito que ninguém sairá daqui da mesma forma que entrou depois das palestras de hoje”, comentou.

Vice-presidente do Conselho Regional de Economia de Mato Grosso do Sul, Thales de Souza Campos considerou o evento imprescindível para os economistas. “Fico muito contente com a realização desse evento da Fiems, aberto a todo o público, porque acredito que contribui para a disseminação de informação. Acredito que os dados apresentados aqui são extremamente importantes para os empresários, mas para a sociedade de modo geral”, finalizou.

Comente esta Noticia
Notícias Relacionadas