MSRepórter - Notícias de Campo Grande-MS
24/09/2017
17 de agosto de 2017 às 15h19 | Geral

Núcleo Industrial Indubrasil é contemplado com revitalização pela primeira vez em 40 anos

O governo autorizou início de obras de pavimentação e drenagem em 48 mil m² de área

Por: GOVMS
Divulgação/GOVMS

Primeiro núcleo industrial de Mato Grosso do Sul, o Indubrasil de Campo Grande será revitalizado pelo Governo do Estado pela primeira vez em 40 anos. Nesta quinta-feira (17.8), o governador Reinaldo Azambuja autorizou o início de obras de infraestrutura urbana no local – pavimentação asfáltica e drenagem de águas pluviais em 48 mil m² de área, o equivalente a seis quilômetros.

“Trabalhar a revitalização dos núcleos industriais do Estado é uma das tônicas do nosso Governo. Já recuperamos o Polo Industrial Norte – Miguel Letteriello, em Campo Grande, e estamos finalizando o Núcleo Industrial de Dourados”, afirmou o governador. Sobre as obras no Indubrasil, Reinaldo Azambuja destacou que o objetivo do Governo é potencializar as atividades industriais. “Atrair novos empreendimentos, gerar novas oportunidades de emprego e melhorar o ambiente para os moradores e trabalhadores”, pontuou.

São R$ 6,6 milhões investidos na obra. Os recursos pertencem ao Fundo de Apoio à Industrialização (FAI), administrado pela Secretaria de Estado de Meio Ambiente, Desenvolvimento Econômico, Produção e Agricultura Familiar (Semagro). “O dinheiro do FAI vem de empresas incentivadas e que pagam parte do incentivo ao Fundo. Com esse recurso, além da revitalização e drenagem, vamos fazer todo o reordenamento do trânsito, deslocando o fluxo para a rotatória do macro anel rodoviário”, explicou o secretário da pasta, Jaime Verruck.

A movimentação de máquinas e operários na região teve início imediatamente após autorização do governador. O trabalho deve ser concluído em seis meses, conforme contrato firmado entre o Governo do Estado e a empresa Engepar Engenharia. “A obra vai contemplar a rotatória do anel viário até a BR-262, em pista duplicada. São duas avenidas, passando pelo núcleo, que serão revitalizadas”, contou o secretário de Estado de Infraestrutura, Marcelo Miglioli, que faz a gestão da revitalização.

Com a obra, o Governo do Estado vai melhorar o acesso às indústrias e ruas do entorno, ampliando a malha pavimentada e recuperando o asfalto já existente, entre outros serviços necessários. Para o prefeito de Campo Grande, Marcos Trad, a revitalização do Núcleo Industrial Indubrasil representa o “desenvolvimento e o progresso não só de uma região, mas de uma cidade e um estado”.

Núcleo Industrial Indubrasil

Criado há 40 anos, o Núcleo Industrial Indubrasil é o mais antigo de Mato Grosso do Sul – com a mesma idade do Estado. A área possui 200 hectares e está localizada na região oeste da Capital, nas margens da rodovia BR-262. São 80 lotes instalados no local (de 5 mil a 10 mil m²), nos quais se instalaram empreendimentos industriais que revelam alguns dos caminhos do desenvolvimento econômico de Campo Grande e do Estado.

Na época, a infraestrutura do núcleo, como avenida principal, vias secundárias pavimentadas, rede e estação rebaixadora de energia elétrica, ramal ferroviário e central telefônica, era um atrativo para as empresas. Atualmente, a maioria dos lotes existentes pertence às indústrias que já se instalaram ou continuam ali instaladas. Mas é possível encontrar áreas, por exemplo, que já receberam mais de um empreendimento.

Vários organizações empresariais importantes para Campo Grande e o Estado se instalaram no núcleo. Entre elas o armazém de produtos ensacados da Agrosul (atual Falcon Aditivos); a Tramasul, primeira empresa de madeira tratada do Estado; a Hidrate, que produzia soro fisiológico para uso hospitalar; a Frangovit, que chegou a ter mais de um mil funcionários; o armazém graneleiro da Conab, que já foi o maior do Estado, com capacidade para 100 mil toneladas; e a antiga Concretex (hoje Carandazal), primeira indústrial de concreto usinado de MS.

Recentemente, o Núcleo Industrial recebeu a gigante ADM do Brasil (Archer Daniels Midland Company), que começa operar ainda este ano sua nova fábrica de proteína texturizada de soja. A planta da ADM em Campo Grande está em fase de conclusão e vai operar com altíssima tecnologia na produção de proteína texturizada da soja, produto alimentício obtido por meio de um complexo processo industrial chamado extrusão termoplástica. A proteína texturizada é a base para produção de hambúrgueres e almôndegas de soja, por exemplo. Dado ao alto grau de automação do processo, serão gerados cerca de 80 empregos diretos

Comente esta Noticia
Notícias Relacionadas