MSRepórter - Notícias de Campo Grande-MS
22/09/2017
21 de junho de 2016 às 12h24 | Geral

Número de prisões por embriaguez ao volante já supera todo o ano passado

Isso representa uma média de 17 prisões por mês em 2015

Por: Da Redação

As estatísticas do projeto “Vida no Trânsito” têm demonstrado que o número de mortes vem caindo ano a ano. No entanto, o número de prisões por conduzir veículos com alteração da capacidade psicomotora segue o caminho contrário. Segundo dados do BPTran (Batalhão de Polícia Militar de Trânsito), em 2015 foram 205 prisões em flagrante. Neste ano já são 209 prisões em flagrante, apenas no período de janeiro a maio. Isso representa uma média de 17 prisões por mês em 2015 e aproximadamente 42 (41,8) prisões mensais neste ano, significando aumento de 145,8% em detenções.

Para o coronel Renato Tolentino, do BPTran, o aumento do número de autuações se justifica pela intensificação das blitize da Lei Seca, em conjunto com Agetran (Agência Municipal de Transporte e Trânsito) e GCM (Guarda Civil Municipal). “As campanhas educativas muito têm contribuído para a censura, cada vez maior da população com relação a conduzir veí- culos sobre influência alcoólica”, opinou Tolentino.

Tolentino comentou o resultado da pesquisa Vigitel 2015 (Vigilância de Fatores de Risco e Proteção para Doenças Crônicas por Inquérito Telefônico), divulgado no fim de semana. A pesquisa aponta redução de 31,5% no número de motoristas que admitem ingerir bebida alcoólica e dirigir. “O resultado apontado pela pesquisa sugere que há um número menor de pessoas que admitem beber e dirigir, justamente pela censura atual e reprovação social. Todavia, como policial de trânsito, verificamos que há aumento nas autuações nos crimes dessa espécie, talvez pelo aumento de blitize repressivas”, explicou.

Para Tolentino, a sociedade tem se mostrado rígida em relação aos casos de direção perigosa por embriaguez. “Percebemos que existe um senso crítico e um sentimento maior de reprovação social na prática de beber e dirigir, isso é muito positivo porque aponta um cenário de mudança comportamental no futuro.

O fato de as pessoas não admitirem a prá- tica dessa conduta criminosa aponta um quadro de melhora para o futuro, já que a sociedade está entendendo que tal mistura, álcool e direção, tem resultado em tragédias”, completou. Segundo a Agetran (Agência Municipal de Transporte e Trânsito), no ano passado foram registradas oito mortes no trânsito relacionado com embriaguez.

Já este ano, de janeiro a junho, foram registradas somente duas mortes. A Agetran informou ainda que campanhas específicas são feitas para conscientização do perigo de dirigir após consumir bebidas alcoólicas, principalmente durante o carnaval e feriados prolongados.

Comente esta Noticia
Notícias Relacionadas