MSRepórter - Notícias de Campo Grande-MS
21/09/2017
27 de abril de 2016 às 13h55 | Política

Pedido de cassação de Delcídio será analisado na próxima terça-feira

Senador de Mato Grosso do Sul faltou pela quarta vez a reunião do Conselho de Ética do Senado

Por: OEMS

Pela quarta vez, o senador Delcídio do Amaral (sem partido) faltou à reunião do Conselho de Ética do Senado que iria ouvi-lo no processo de quebra de decoro parlamentar. A defesa do parlamentar alega que precisa receber todas as provas do inquérito e pediu mais prazo. No entanto, a maioria dos senadores alegou que não se tratar de um processo criminal e sim de quebra de decoro, e que o ex-petista já tem todas as informações necessárias para a sua defesa.

Dispensado Delcídio, o conselho vai se reunir na próxima terça-feira (3) para analisar o relatório final. Foram dois atestados, uma garantia da defesa de que ele compareceria e uma ausência não justificada que terminaram por acabar com a paciência dos membros do Conselho. “Já é prática comum do senador apresentar um atestado e ao mesmo tempo conceder uma entrevista à imprensa.

Enquanto estamos esperando para ouvi-lo, ele já falou para o Jornal Nacional, New York Times, Jornal do SBT, para a revista IstoÉ, e até andou de moto em uma passeata em São Paulo. Isso só está atrapalhando o processo. Por que ele não vem e dá os nomes dos 20 senadores que ele disse que são corruptos? Na última entrevista ele disse que está sendo perseguido e destratou os membros do Conselho. Não dá mais para aturar”, afirmou o senador Randolphe Rodrigues (Rede-AP).

Defesa

De acordo com um dos advogados do senador, Adriano Bretas, seria necessário um prazo maior para que a defesa pudesse ter conhecimento de todas as denúncias. “Queremos mais prazo para que ele possa vir e se defender com propriedade. Na próxima semana o Ministério Público deve enviar novas denúncias para o STF (Supremo Tribunal Federal) e queremos ter acesso a esses documentos antes de formar os argumentos de defesa”, declarou Bretas.

Apesar do apelo do advogado, os senadores foram taxativos quanto ao fato de que está em análise no Conselho a quebra de decoro por conta da conversa que Delcídio teve com o filho de Nestor Cerveró, ex-diretor da área Internacional da Petrobras. “As entrevistas para a imprensa e a defesa prévia já estão sendo analisadas. Não se trata de questões judiciais. Estamos satisfeitos com as informações que já temos e precisamos julgar”, disse o senador Telmário Mota (PDT-RR).

Comente esta Noticia
Notícias Relacionadas