MSRepórter - Notícias de Campo Grande-MS
19/09/2019
28 de agosto de 2019 às 15h33 | Saúde

Planifica SUS vai capacitar 1,5 mil profissionais da Atenção Primária em 12 municípios do Estado

Começou, nessa terça-feira (20.08), o Planifica SUS em Mato Grosso do Sul.

Por: Portal do Governo de Mato Grosso do Sul

Começou, nessa terça-feira (20.08), o Planifica SUS em Mato Grosso do Sul. Serão dois dias de capacitação dos profissionais de saúde da Atenção Primária, de 12 municípios do Estado.

Inicialmente trabalhando a Rede Cegonha, as oficinas e workshops acontecerão em quatro cidades polos: Aquidauana, Jardim, Miranda e Porto Murtinho.

O programa, que tem objetivo de reorganizar o atendimento à saúde no Estado, vai reunir, aproximadamente, 1,5 mil pessoas.

Uma parceria com o Conselho Nacional de Secretários Estaduais de Saúde (Conass) e o Hospital Israelita Albert Einstein (HIAE), o Planifica SUS vai ser dividido em Mato Grosso do Sul em seis oficinas, quatro delas acontecem ainda em 2019 e outras duas já estão programadas para maio e junho do ano que vem.

Participam das oficinas os profissionais da Atenção Primária das cidades de Aquidauana, Anastácio, Bonito, Bodoquena, Bela Vista, Dois Irmãos do Buriti, Caracol, Guia Lopes da Laguna, Jardim, Miranda, Nioaque e Porto Murtinho.

Conforme a gerente estadual de Atenção Básica da SES, Karine Cavalcante da Costa, também em Aquidauana e Jardim haverá oficina para profissionais da Atenção Especializada e Oficina de Tutores da Atenção Primária, já que cada um dos municípios participa com um desses profissionais. "Os tutores vão colocar, junto aos profissionais, em prática tudo que será abordado nas oficinas e workshops.

Haverão unidades laboratoriais em Aquidauana e Jardim para que sejam implantados os protocolos de atendimento, e como serão realizados os fluxos de encaminhamento da Atenção Primária para a Atenção Especializada.

Vamos estudar fluxos e protocolos de atendimento de mulhres gestantes e crianças recém-nascidas" Planifica SUS A estratégia de regionalização tem o apoio do Ministério da Saúde e do Conass, que vem desenvolvendo, desde 2007, a Planificação da Atenção Primária à Saúde (PAPS).

A proposta vai além de uma simples capacitação e proporciona o desenvolvimento da Atenção Primária nos municípios por meio de mudanças efetivas nos processos de trabalho.

O secretário de Estado de Saúde, Geraldo Resende, afirmou que ao aderir ao programa o governador mostra "o firme compromisso do governador com a proposta de oferecer uma saúde de qualidade mais próxima dos cidadãos”. O termo de adesão de prefeitos e secretários municipais de saúde foi assinado em cerimônia na Governadoria, em junho deste ano.

“Quando assinamos o contrato com o Hospital Israelita Albert Einstein, no primeiro momento iríamos começar com a macrorregião de Campo Grande. Porém entendemos que há municípios com mais fragilidade, os quais precisamos ajudar, que são os do Pantanal e da Região Sudoeste.

Temos esse desafio, para depois estender para todo o Estado”, salientou Resende. Segundo o secretário, a chamada Atenção Primária à Saúde tem sido uma grande preocupação dos gestores estaduais de todo o país, uma vez que é de responsabilidade dos Estados fortalecer esse nível de atenção, assessorando os municípios na organização e na educação permanente de suas equipes.

“Também precisamos definir fontes de financiamento adequado, bem como monitorar e avaliar sua execução e os indicadores relacionados. É assim que vamos avançando na proposta de regionalização da saúde”, disse.

A estratégia de regionalização conta com o apoio do Ministério da Saúde e do Conass, que vem desenvolvendo, desde 2007, a Planificação da Atenção Primária à Saúde (PAPS) “uma proposta que vai além de uma simples capacitação, pois propicia o desenvolvimento da Atenção Primária nos municípios por meio de mudanças efetivas na atitude e nos processos de trabalho dos profissionais que compõem as equipes assistenciais e de gestão”.

Comente esta Noticia
Notícias Relacionadas