MSRepórter - Notícias de Campo Grande-MS
18/11/2017
17 de agosto de 2017 às 08h11 | Polícia

Polícia Federal faz operação para prender 19 por tráfico de drogas em MS e SP

Operação Bandeirante cumpre mandados ainda de busca e apreensão e condução coercitiva

Por: G1
Reprodução/G1

A Polícia Federal (PF) faz nesta quinta-feira (17), operação em Mato Grosso do Sul e São Paulo para prender 19 suspeitos de envolvimento com tráfico de drogas.

A ação leva o nome de Bandeirante e objetiva também cumprir 16 mandados de busca e apreensão e dois de condução coercitiva, que é quando a pessoa é levada para prestar depoimento e depois liberada.

A investigação prevê ainda o sequestro e apreensão de bens e valores do grupo. Os mandados são cumpridos Corumbá, Três Lagoas, Campo Grande, São Paulo e Suzano.

Investigação

A investigação contra o grupo começou em fevereiro deste ano, quando a PF apreendeu 126 quilos de maconha no Pantanal de Mato Grosso do Sul.

Nestes seis meses foram feitas quatro prisões e três apreensões de drogas, que totalizaram 354 quilos de cocaína na forma de cloridrato. Na região sudeste, destino das remessas, o valor dos carregamentos somados poderia superar R$ 7 milhões.

Para o tráfico, os investigados utilizavam familiares e até o filho menor de idade de um casal do grupo.

Segundo a PF, os alvos tinham tarefas bem divididas. Eles tratavam com fornecedores bolivianos de cocaína, logística de pagamentos e internalização da droga no Brasil, até o armazenamento, ocultação em compartimentos de veículos e transporte, especialmente para o estado de São Paulo.

Para chegar com o entorpecente no destino final, o grupo utilizava rotas vicinais ou estradas de terra e também o trânsito em horário noturno.

Infraestrutura

Durante a investigação, os policiais descobriram que a quadrilha tinha vasta rede de fornecedores na Bolívia, de compradores, motoristas e pessoas para trazer a droga para o Brasil, as chamadas 'mulas'.

De acordo com a PF, a quadrilha contava ainda com oficinas mecânicas, estacionamento, lava-jato, diversas residências, veículos de passeio, caminhonetes e caminhões.

Uma das oficinas não apresentava atividade contínua ou funcionários regulares e auxiliava na confecção de esconderijos em veículos que transportariam as drogas.

Dinheiro

Como pagamento pela droga enviada, o grupo recebia valores em espécie em moeda nacional e estrangeira, veículos e embarcações. Tudo era negociado dentro e fora do país.

Já foram identificados mais de R$ 921 mil entre automóveis, caminhões e embarcações. Já foram confiscados US$ 25 mil (o equivalente a mais de R$ 81 mil na data da apreensão) que estavam sendo levados à Bolívia.

Mesmo após as prisões e as apreensões milionárias de drogas e de valores, a quadrilha continuava no tráfico. Os integrantes não possuíam emprego ou atividade lícita que justificasse a riqueza ostentada.

Operação Bandeirante

O termo bandeirante faz referência ao veículo usado pelo grupo para cruzar o Pantanal de Mato Grosso do Sul com a primeira carga do grupo apreendida pela PF.

Comente esta Noticia
Notícias Relacionadas