MSRepórter - Notícias de Campo Grande-MS
20/06/2018
23 de março de 2018 às 09h40 | Economia

Prévia da inflação oficial fica em 0,10% em março, aponta IBGE

Esta foi a menor taxa para um mês de março desde 2000, quando ficou em 0,09%

Por: G1

O índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo 15 (IPCA-15), que é uma prévia da inflação oficial, caiu de 0,38% em fevereiro para 0,10% em março, conforme divulgado nesta sexta-feira (23) pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).

Segundo o IBGE, esta foi a menor taxa do indicador para um mês de março desde 2000, quando ficou em 0,09%. A queda em relação ao mês anterior foi puxada pelas tarifas de telefone fixo, que sofreram redução de 0,94% em função da redução nas tarifas das ligações locais e interurbanas de fixo para móvel em vigor desde 25 de fevereiro.

Dos nove grupos de produtos e serviços pesquisados pelo IBGE, dois sofreram deflação em março: alimentação e bebidas, que caiu 0,07%, e Comunicação, com queda de 0,19% puxada sobretudo pelas tarifas de telefone fixo.

A maior alta de preços foi observada no grupo de Saúde e cuidados pessoais, que avançou 0,54%. A pressão neste grupo, segundo o IBGE, partiu do reajuste em planos de saúde (1,06%).

O grupo dos alimentos, que responde por cerca de 1/4 das despesas das famílias, registrou queda de -0,07%, puxada pela redução de 0,29% da alimentação no domicílio. Segundo o IBGE, vários produtos alimentícios tiveram deflação na passagem de fevereiro para março. Os maiores destaques foram as carnes, com redução de 0,66%, e do tomate, que caiu 5%.

O grupo de Transportes teve alta de 0,07% influenciada pela variação de 1,30% nos ônibus urbanos, em razão dos reajustes aplicados nas regiões de Goiânia, Fortaleza, Rio de Janeiro, Belém e Porto Alegre. Em contrapartida, no mesmo grupo, as passagens aéreas tiveram queda de 15,33%, sendo responsáveis pelo maior impacto negativo no índice, -0,06p.p.

Veja as variações dos grupos pesquisados:

Alimentação e Bebidas: de 0,13% para -0,07%

Habitação: de -0,51% para 0,13%

Artigos de Residência: de 0,2% para 0,09%

Vestuário: de -0,73% para 0%

Transportes: de 1,11% para 0,07%

Saúde e Cuidados Pessoais: de 0,34% para 0,54%

Despesas Pessoais: de 0,19% para 0,12%

Educação: de 4,01% para 0,25%

Comunicação: de 0,03% para -0,19%

Índices regionais

Na análise regional, apenas Fortaleza (de 0,13% em fevereiro para 0,26% em março) e Brasília (de -0,09% para 0,08%) registraram aceleração da prévia da inflação em março, segundo o IBGE. Em todas as demais regiões metropolitanas foram observadas quedas do indicador em relação ao mês anterior.

Belém passou de 0,38% para 0,29%; Belo Horizonte, de 0,38% para 0,25%; Rio de Janeiro de 0,57% para 0,17%; São Paulo de 0,39% para 0,11%; Porto Alegre de 0,37% para 0,02%; Curitiba de 0,25% para 0,01%; Recife de 0,21% para 0,04%; Goiânia de 0,13% para -0,04% e Salvador de 0,78% para -0,09%.

Metodologia

Para o cálculo do IPCA-15, os preços foram coletados no período de 16 de fevereiro a 15 de março de 2018 e comparados com aqueles vigentes de 16 de janeiro a 15 de fevereiro de 2018 . O indicador refere-se às famílias com rendimento de 1 a 40 salários mínimos e abrange as regiões metropolitanas do Rio de Janeiro, Porto Alegre, Belo Horizonte, Recife, São Paulo, Belém, Fortaleza, Salvador e Curitiba, além de Brasília e Goiânia.

Comente esta Noticia
Notícias Relacionadas