MSRepórter - Notícias de Campo Grande-MS
26/02/2021
20 de fevereiro de 2021 às 07h14 | Saúde

Quem já vacinou contra covid-19, pode doar sangue entre dois e sete dias

Em Mato Grosso do Sul, 105.726 tomaram a primeira dose da vacina contra a covid-19, enquanto que 31.808 já receberam a segunda dose da vacina, somando 137.534 aplicações.

Por: Portal do Governo do Estado de MS
Os sul-mato-grossenses vacinados contra a Covid-19 precisam esperar o período entre dois a sete dias para doarem sangue. A orientação do Ministério da Saúde e do Hemocentro Coordenador de Mato Grosso do Sul é que a população doe antes mesmo de se vacinar. O impedimento temporário para doação após o recebimento de certos tipos de vacinas tem objetivo de proteger tanto o doador quanto o receptor, bem como a qualidade dos produtos do sangue, conforme Nota Técnica da Agencia Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa). Esse intervalo entre a vacinação e a doação é uma recomendação da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa), válida para todos os serviços de hemoterapia e hemocentros do País, e tem objetivo de garantir maior segurança para doadores e pacientes. O documento especifica que pessoas que recebem a vacina Coronavac, produzida pela chinesa Sinovac em parceria com o Instituto Butantan, podem doar 48h após a imunização. Já quem recebeu o imunizante Oxford/AstraZeneca, produzido em parceria com a Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz), precisa esperar sete dias. O tempo de espera varia de acordo com a produção do imunizante. O Hemosul reforça que quem puder, doe antes de receber a imunização para que não haja necessidade de esperar o período de inaptidão e também para ajudar a manter o estoque dentro da regularidade. “O ideal é que o doador apresente comprovante que indique qual vacina foi recebida. Doadores que não tiverem essa informação precisarão entrar na espera de 7 dias. Esse prazo vale para cada dose recebida. Se houver reação após a vacina, é importante que o voluntário doe após sete dias do desaparecimento dos sintomas”, afirma Marli Vavas, diretora geral da Rede Hemosul.
Comente esta Noticia
Notícias Relacionadas