MSRepórter - Notícias de Campo Grande-MS
22/09/2017
16 de janeiro de 2017 às 11h43 | Economia

Retomada da economia faz comércio registrar melhor movimento dos últimos quatro anos

Associação Comercial revelou que as vendas de dezembro de 2016 foram as melhores dos últimos quatro anos

Por: NotíciasMS
Divulgação/NotíciasMS

A retomada da estabilidade econômica em Mato Grosso do Sul vem refletindo positivamente no comércio. Levantamento realizado pela Associação Comercial e Industrial de Campo Grande (ACICG), por meio da pesquisa Movimento do Comércio Varejista (MCV), revela que as vendas no mês de dezembro de 2016 foram as melhores dos últimos quatro anos.

Essa recuperação da economia tem relação direta com as ações de gestão do governador Reinaldo Azambuja. No conjunto das 27 unidades da federação, Mato Grosso do Sul foi um dos sete estados que conseguiu atravessar o ano com todos os pagamentos em dia. O equilíbrio fiscal possibilitou investimentos em áreas importantes e a concessão de incentivos fiscais para industrias e comércio. Aliado a isso, em dezembro o Estado injetou quase R$ 1 bilhão na economia, com as folhas de pagamento de novembro, dezembro e o 13º salário.

“Valorizamos a atitude do governo do Estado na indução do desenvolvimento. A injeção de R$ 1 bilhão em salário no fim do ano foi importante para o bom movimento e vendas deste fim de ano. Os servidores são um público consumidor importante e representam uma contribuição expressiva na movimentação do comércio da cidade. Essa injeção de dinheiro na economia local deixa o comércio animado e otimista, pois impulsiona diversos segmentos”, afirma o presidente da Associação Comercial e Industrial de Campo Grande (ACICG), João Carlos Polidoro.

O resultado dos esforços de gestão se traduz na liderança no ranking nacional de geração positiva de emprego e o consequente reaquecimento da economia com aumento das vendas. O governador Reinaldo Azambuja reforça a política de indução ao desenvolvimento no Estado e, apesar da apertada margem tributária e oferta de crédito, vem adotando políticas para estimular a cadeia produtiva em todos os segmentos.

 “Entre as medidas que estão auxiliando o comércio no crescimento da economia está a ampliação do teto do Simples. As pequenas e microempresas respondem por 90% da oferta de empregos em MS. O Estado aposta nesse círculo virtuoso da economia. O incentivo fiscal, a infraestrutura energética, os recursos hídricos, logística de transportes e equilíbrio das contas públicas dão condições para o crescimento da economia. É preciso entender que a remuneração da produção reflete no aumento dos postos de trabalho e na geração de tributos. Esse conjunto de fatores é que forma a engrenagem que faz girar o motor da economia”, explica Reinaldo.

Empresariado

O levantamento mostra que o consumidor (MCV-PF) está mais confiante, porém, os empresários (MCV-PJ) continua cautelosos em compor estoques. O MCV é um índice que apura transações realizadas entre empresas, consumidores e comércio. Considerando a sazonalidade da atividade comercial, o MCV foi desenvolvido com base fixa definida pela média do desempenho do ano de 2014. O Índice é composto de dois outros sub índices que ajudam a avaliar sua evolução: o MCV-PF, que analisa as transações entre Pessoas Físicas e as empresas do setor terciário, e o MCV-PJ, que avalia as transações entre as empresas.

O MCV-PF de dezembro de 2016 foi de 128 pontos, contra 106 no mesmo mês de 2015, 124 em 2014, e 113 em 2013. Este indicador só foi superado pelo de 2012 (142) e é o que melhor explica o desempenho positivo em relação ao ano passado. O MCV-PJ de dezembro de 2016 foi de 72, contra 58 registrados em dezembro de 2015, e 82 em 2014.

O economista-chefe da Associação Comercial de Campo Grande, Normam Kallmus, pondera que, embora os comerciantes ainda não sintam no faturamento o impacto da retomada dos negócios, as empresas estão vivenciando e reagindo aos indicativos claros de que, não só a queda no desempenho geral da economia está se estabilizando, mas já há uma recuperação.

“Apesar de todas as incertezas, embora a recuperação não esteja ocorrendo de forma rápida, é indiscutível que as condições gerais estão melhores. A expectativa de um dezembro superior ao que enfrentamos em 2015 por fim se concretizou”, encerra Kallmus.

Comente esta Noticia
Notícias Relacionadas