MSRepórter - Notícias de Campo Grande-MS
24/11/2017
28 de março de 2016 às 08h19 | Internacional

Sobe para 35 o número de mortos nos ataques em Bruxelas

Homens-bomba não estão incluídos no balanço

Por: G1
Divulgação/AP

As autoridades belgas elevaram nesta segunda-feira (28) para 35 o número de vítimas fatais dos atentados da semana passada em Bruxelas, reivindicados pelo grupo Estado Islâmico (EI).

Fontes do centro de crise haviam anunciado um balanço de 31 mortos durante os ataques, mas quatro pessoas faleceram no hospital. O balanço precedente não registrava essas mortes.

Os três homens-bomba (dois no aeroporto de Bruxelas-Zaventem e um na estação de metrô de Maalbeek), que tiveram os corpos identificados, não estão contabilizados no balanço.

Deste total, 28 foram identificadas (15 morreram no aeroporto e 13 no metrô). Os três corpos ainda não identificados aguardam a conclusão dos testes de DNA, informou à imprensa Ine Van Wymersch, porta-voz da promotoria de Bruxelas.

Entre os 28 mortos e identificados, de acordo com o centro de crise 16 eram belgas e 12 estrangeiros, incluindo cidadãos dos Estados Unidos, Holanda, Suécia, Alemanha, França, China, Itália e Grã-Bretanha. Os atentados também deixaram 340 feridos de 20 nacionalidades.

O Departamento de Estado dos Estados Unidos afirmou que quatro cidadãos americanos morreram nos ataques em Bruxelas. Ao menos uma das vítimas de origem americana, já foi identificada: Justin Shults morreu no ataque do aeroporto de Zaventem.

Entre as vítimas estão ainda, o estudante de direito Léopold Hecht, que estudava na Universidade Saint-Louis, em Bruxelas, e a peruana Adelma Marina Tapia Ruiz, que vivia na Bélgica havia seis anos.

Ações antiterroristas

Três homens foram presos nesta segunda-feira (28) na Bélgica por "participação em atividades de um grupo terrorista" após uma operação realizada no domingo em várias cidades do país, anunciou a procuradoria federal.

Yassine A., Mohamed B. e Aboubaker O. foram detidos, acrescentou a procuradoria em um comunicado, no qual se refere a uma "operação judicial antiterrorista", embora sem estabelecer um vínculo com os atentados de Bruxelas de terça-feira.

Comente esta Noticia
Notícias Relacionadas