MSRepórter - Notícias de Campo Grande-MS
22/10/2017
15 de junho de 2016 às 11h27 | Política

Tereza Cristina avalia positivamente diligências da CPI da Funai em MS

O grupo realizou atividades em Amambai, Dourados e Campo Grande entre os dias 06 e 10 de junho

Por: Assessoria
Assessoria

A sub-relatora da CPI da Funai e do Incra, deputada federal Tereza Cristina (PSB-MS), repercutiu de forma positiva as diligências feitas pela Comissão em Mato Grosso do Sul na última semana. O grupo, coordenado pela parlamentear, realizou atividades com índios e produtores rurais nas cidades de Amambai, Dourados e Campo Grande entre os dias 06 e 10 de junho para investigar a atuação das duas instituições na demarcação de terras indígenas do Estado.

As visitas foram classificadas como positiva e esclarecedoras, na opinião da parlamentar. Segundo Tereza as inspeções em propriedades invadidas ou aldeias são apropriadas para o contato com o drama pessoal dos envolvidos nos conflitos. “Essas pessoas hoje gritam por socorro e não têm para quem reclamar”, avaliou.

O grupo teve a oportunidade de conversar e ouvir todos os lados envolvidos em conflitos. “Ouvimos os Indígenas dentro das aldeias, coletamos todas as opiniões sobre a atuação da Funai, os serviços prestados nas áreas de saúde, educação, agricultura, ficando cientes das queixas e das insatisfações destes povos indígenas. Também falamos separadamente com os produtores rurais, coletando depoimentos. Foram falas importantes, dos dois lados, para enriquecer este processo”, descreveu a deputada ao lembrar que as oitivas também foram feitas com representantes dos Ministérios Públicos Federais e Estaduais, advogados, Governo do Estado e federações ligadas a setores da agricultura e trabalho.

Tereza mostrou-se surpresa e até indignada com as condições encontradas durante as oitivas em Mato Grosso do Sul. Como exemplo, citou a situação de uma aldeia de Dourados que não possui água para os índios há quatro meses. “São pessoas que estão tomando decisões por estes índios, mas que estão insensíveis pelo estado daquelas pessoas”, ponderou.

Na avaliação da deputada o poder público não tem atuado de forma firme na resolução dos conflitos entre índios e produtores rurais. “Infelizmente ninguém tem feito nada. É uma omissão total do poder público para resolver a vida dessas pessoas”, declarou Tereza.

A coleta dos depoimentos - gravações de todas as reuniões feitas em áudio e vídeo - vai auxiliar no aprofundamento de denúncias e na retirada de resoluções e ações que contribuam para as partes envolvidas no conflito, expôs a deputada. “É uma documentação muito rica que foi coletada e levada para Brasília para embasar os debates das próximas reuniões. Muita coisa que foi observada nestas visitas constará no relatório final. Tirando disso uma legislação que proteja as duas partes envolvidas, sendo a mais imparcial possível, mas que possa proporcionar uma solução definitiva para este problema tão grave que não é só econômico e sim social e que cada vez se agrava mais”, completou Tereza Cristina.    

Tereza Cristina informou que a CPI também vai investigar a destinação dos recursos de saúde para os índios que têm sofrido com a falta de atendimento médico adequado. “Fiquei impressionada com o desleixo e descaso com que os povos indígenas são tratados nesta questão de saúde. Vamos aumentar as investigações para saber o que está acontecendo com o dinheiro que não tem chegado até eles”, finalizou.

A Comissão se reúne nesta quarta-feira (15/06) em Brasília para ouvir o depoimento do cacique da Terra Indígena Balaio, no Amazonas, Álvaro Fernandes Sampaio (Álvaro Tukano).

Comente esta Noticia
Notícias Relacionadas