Menu
Busca segunda, 15 de julho de 2024

Dólar fecha a R$ 1,57 em dia morno de negócios

02 maio 2011 - 20h02

Há semanas o volume de negócios no mercado de câmbio doméstico tem estreitado, e não foi diferente neste início de mês, com um giro abaixo de US$ 2 bilhões na roda de dólar (negócios à vista) da BM&F, conforme dados preliminares.



Dessa forma, o preço da moeda americana oscilou entre R$ 1,570 e R$ 1,577, para encerrar o expediente na taxa de R$ 1,576, o que representa um acréscimo de 0,19% sobre o fechamento da semana passada. Já o dólar turismo foi vendido por R$ 1,680 e comprado por R$ 1,520 nas casas de câmbio paulistas.


Os mercados mundiais reagiram com algum entusiasmo ao anúncio da morte de Osama Bin Laden, líder da rede terrorista Al Qaeda, mas que arrefeceu ao longo do dia. A repercussão mundial teve uma tônica comum: a "celebração" pelo fim de um dos homens mais procurados do planeta cedeu lugar à cautela e o temor de represálias.


O dólar, mais uma vez, perdeu força frente ao euro, que foi cotado por US$ 1,488, ante US$ 1,4835 na semana passada.


Entre outras notícias importantes do dia, a balança comercial brasileira registrou superavit de US$ 1,863 bilhão em abril e acumula US$ 5,032 bilhões em 2011.


Analistas chamam a atenção para outro dado importante, que deve ser monitorado com atenção pelo mercado: o fluxo cambial (a diferença entre as saídas e entradas de dólares), que será divulgado na quarta-feira.


O boletim Focus, elaborado pelo Banco Central, mostrou projeções mais altas para a inflação deste ano, pela oitava semana consecutiva. A taxa esperada do IPCA subiu de 6,34% para 6,37%. Para 2012, a projeção de inflação se manteve inalterada em 5%.


A previsão de preço para o dólar para este ano baixou para R$ 1,62 ante R$ 1,65, enquanto para 2012 se manteve em R$ 1,70.



JUROS FUTUROS


No mercado de juros futuros, as taxas negociadas ficaram praticamente estáveis nesta primeira sessão do mês.


Para julho, a taxa prevista foi mantida em 11,98%; para janeiro de 2012, a taxa projetada subiu de 12,31% para 12,33%. E no contrato para janeiro de 2013, a taxa prevista passou de 12,68% para 12,67%. Esses números são preliminares e estão sujeitos a ajustes.


 


Folha Online

Deixe seu Comentário

Leia Também

Temperaturas permanecem amenas e quinta-feira tem probabilidade de chuva fraca a moderada
Julho das Pretas: governos de MS e Federal debatem ações afirmativas e promoção da igualdade racial
Saúde realiza monitoramento das estratégias de vacinação para pólio e sarampo em MS
Investimento na agricultura familiar sobe 130% em edital de extensão da Fundect