Menu
Busca domingo, 14 de julho de 2024

Degradação na Amazônia Legal cresce 35%

13 maio 2011 - 16h27

Na Amazônia Legal, 299 km² de florestas foram degradados em março deste ano, um aumento de 35% em comparação com o mesmo período de 2010, quando a área atingida foi de 220 km². Os dados, do SAD (Sistema de Alerta de Desmatamento), constam no último boletim do Instituto Imazon.Segundo o instituto, Mato Grosso foi responsável por 73% da degradação, seguido por Rondônia, com 23%.


Degradação florestal significa que a floresta foi cortada parcialmente ou sofreu queimada, mas não foi totalmente derrubada.


Os dados confirmam o alerta feito pelo Deter, sistema de satélites do Inpe (Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais) que detecta a ocorrência de corte raso, ou seja, desmatamento total de uma área, na Amazônia Legal.


Em janeiro e fevereiro deste ano, o Deter apontou 19,2 km² de áreas desmatadas. Mato Grosso apareceu como o Estado que mais desmatou, com 14,4 km², seguido pelo Maranhão, com 4,3 km².
Perfil. O diretor de desmatamento do Ministério do Meio Ambiente, Mauro Pires, confirma que houve um pico fora da curva e diz que agora a maior preocupação é em relação à mudança do perfil do desmate.


Nos últimos cinco anos, o desmatamento ocorreu em polígonos que variavam de 20 a 80 hectares. Hoje é comum encontrar áreas desmatadas com mais de mil hectares.


Camila Bertagnolli/Fonte: R7

Deixe seu Comentário

Leia Também

Temperaturas permanecem amenas e quinta-feira tem probabilidade de chuva fraca a moderada
Julho das Pretas: governos de MS e Federal debatem ações afirmativas e promoção da igualdade racial
Saúde realiza monitoramento das estratégias de vacinação para pólio e sarampo em MS
Investimento na agricultura familiar sobe 130% em edital de extensão da Fundect