Menu
Busca sexta, 24 de maio de 2024

Copa poder ter influenciado alta de confiança do consumidor, diz FGV

25 julho 2014 - 11h11Por Mariana Rodrigues/Informações Agência Brasil

 O Índice de Confiança do Consumidor (ICC) da Fundação Getulio Vargas (FGV) avançou pelo segundo mês consecutivo, ao crescer 3% entre junho e julho deste ano, indo de 103,8 para 106,9 pontos. O ICC foi divulgado nesta sexta-feira (25), pelo Instituto Brasileiro de Economia (Ibre). Apesar do avanço, o Ibre considera que o índice ainda se encontra em nível baixo, em termos históricos.

Para a economista Viviane Seda, coordenadora da pesquisa, a alta da confiança do consumidor é “uma boa notícia”, no entanto parte deste resultado se deve a uma possível influencia da movimentação em torno da Copa do Mundo nas cidades sedes pesquisadas e não representa, efetivamente, uma tendência. “Para se confirmar uma tendência mais consistente de alta, será necessário aguardar os próximos resultados”, acredita.

Os dados apurados pelo Ibre indicam que, em julho, a satisfação dos consumidores em relação à situação atual aumentou expressivamente, enquanto as expectativas em relação aos meses seguintes ficaram ligeiramente mais otimistas.

Com isto, o Índice da Situação Atual (ISA) subiu 3,1%, para 113 pontos, enquanto o Índice de Expectativas (IE) variou 0,5%, passando a 101,2 pontos. A avaliação sobre a situação econômica geral contribuiu com mais de 50% para o resultado favorável do ICC no mês.

Já o indicador que mede o grau de satisfação dos consumidores com a economia no momento avançou 8,8% em julho, ao passar de 69,6 para 75,7 pontos, melhor resultado desde os 76,1 pontos de março último.

Houve aumento na  proporção de consumidores que avaliam a situação como boa (de 14,1% para 16,7%) e redução dos que a consideram ruim (de 44,5% para 41%).

A pesquisa concluiu também que os consumidores estão menos pessimistas a respeito das finanças pessoais para os próximos meses. Assim, o indicador que mede o grau de otimismo em relação à situação financeira familiar subiu 1,6%, para 129,1 pontos.

O quadro de melhora do Índice de Confiança do Consumidor é generalizado e pode ser observado também na parcela de consumidores que projetam melhora para os próximos meses - de 33,9% para 35,2%, entre junho e julho; enquanto a dos que preveem piora caiu de 6,8% para 6,1%.

A Sondagem de Expectativas do Consumidor é feita com base numa amostra com cerca de 2.000 domicílios em sete das principais capitais brasileiras. 

Deixe seu Comentário

Leia Também

Ordem do Dia: Seis proposições são aprovadas pelos deputados estaduais
Saiba quais são os bairros que estão na rota do fumacê nesta quinta
Prefeitura entrega sede própria para Grupamento Especializado de Motopatrulhamento de Campo Grande
Café com os conselheiros regionais do centro acontece neste sábado (25)