Divulgação Fácil
Rivemat
Menu
Busca segunda, 04 de julho de 2022

BENEFICIÁRIOS ASSINAM CONTRATOS DAS MORADIAS DO RESIDENCIAL JARDIM CANGURU; 1,2 MIL PESSOAS SERÃO BE

Felicidade e emoção marcaram a manhã desta quarta-feira (15) para os 300 beneficiários das unidades do Residencial Jardim Canguru.

15 junho 2022 - 16h23Por PMCG

Os novos proprietários assinaram os contratos das moradias, construídas pela Prefeitura de Campo Grande, por intermédio da Agência Municipal de Habitação e Assuntos Fundiários (Amhasf) em parceria com a Agência de Habitação Popular (Agehab) do governo do Estado de Mato Grosso do Sul. Serão atendidas 1.200 pessoas.

Comemorando a fase final que antecede a entrega definitiva das chaves, a dona de casa Eliza Queiroz de Souza, 36 anos, já está na expectativa de mudar. “Assinar esse hoje este contrato é realização de um sonho. Vou ter minha casa própria, isso é perfeito”. Eliza vai morar com a filha Samara de 18 anos, que tem microcefalia, que também não vê à hora de mudar. “Ela já quer mudar hoje e estamos imaginando o que vamos colocar lá dentro, montando o quarto, sala e cozinha na nossa cabeça”, contou emocionada.

A diarista Fernanda de Souza Oliveira, 40 anos, disse que chegou no local do evento, no Armazém Cultural da Esplanada Ferroviária, às 5 horas, por causa de tanta ansiedade. “Eu não consegui ficar em casa. Estava ansiosa esse é mais que um sonho realizado porque já passei por muita coisa nessa vida, dificuldades. Quero uma vida nova para meus filhos, agora é só erguer a cabeça e seguir em frente”, conta ela, que tem 10 filhos e 5 netos.

A prefeita Adriane Lopes acompanhou as assinaturas e conversou com as famílias. “Hoje é um dia de muito trabalho, de alegria e realização de sonhos para 300 famílias que estão assinando o contrato da sua casa própria. E esta é uma das entregas que a prefeitura de Campo Grande está fazendo, mas pretendemos avançar e fazer muito mais para as famílias que mais precisam. Estamos trabalhando com transparência, respeito e fazendo justiça social”.

A aposentada Rosangela Iopp, de 51 anos, foi vistoriar o imóvel, no último andar, acompanhada de seu marido no dia 2 de junho. Assim que abriu a porta, a emoção tomou conta. “Fiquei muito feliz, é uma luta de uma vida toda. Dá vontade de chorar”, desabafa. Mãe de três filhos e avó de dois netos, a aposentada contou que há muito tempo sonha com a casa própria.

Em nome da Assembleia Legislativa de Mato Grosso Sul, o deputado estadual Lídio Lopes ressaltou a parceria entre os poderes para o desenvolvimento de Campo Grande. “Além de ser um momento de muita alegria para as famílias que estão contando os dias para entrar em sua casa própria comemoramos também a parceria do executivo, do governo do estado e do governo federal para que estes investimentos acontecessem e beneficiassem tantas famílias na Capital”.

Sobre o empreendimento

O Residencial Jardim Canguru foi construído com recursos do FAR (Fundo de Arrendamento Residencial) por intermédio do programa Casa Verde e Amarela, do governo federal, com contrapartidas da Prefeitura (doação do terreno) e governo do Estado (infraestrutura). Soma-se quase 23  milhões de reais investidos para viabilizar o empreendimento em Campo Grande. O empreendimento está localizado na Rua Betóia, Bairro Centro-Oeste, Região Urbana do Anhanduizinho.

Os apartamentos têm 47m². São dois quartos, sala, cozinha, banheiro e lavanderia. Há um espaço para confraternização, playground e quadra de areia.

Segundo Maria Helena Bughi, diretora-presidente da Amhasf a entrega das moradias está prevista para final do mês de junho. “As famílias que assinaram os contratos hoje e vão receber as novas unidades habitacionais já vistoriam o condomínio que está previsto para ser entregues até dia 30 de junho”.

Deixe seu Comentário

Leia Também

No acumulado dos últimos 12 meses MS gerou mais de 40 mil novas vagas de emprego
Socorro do Governo de R$ 1,2 milhão para estudantes da Rede Estadual mantém tarifa de ônibus congela
Governo do Estado nomeia 201 aprovados no concurso público da Secretaria de Saúde
Estudo de viabilidade da ferrovia Malha Oeste avança e licitação pode sair no segundo semestre