Rivemat
Menu
Busca sábado, 15 de maio de 2021

62% dos campo-grandenses comprarão presentes de Páscoa nesta semana

27 março 2018 - 13h49Por ACICG

Os poucos dias que antecedem a Páscoa serão movimentados no comércio de Campo Grande. O levantamento produzido pelo Centro Universitário Anhanguera de Campo Grande, a pedido da Associação Comercial e Industrial de Campo Grande (ACICG), revela que, dos 92% dos entrevistados pretendem presentear na Páscoa, 62% comprarão produtos nesta semana. A pesquisa de intenção de compra para a festividade foi produzida na primeira quinzena de março, com entrevistas de 537 pessoas, em sete regiões da Capital: Segredo, Prosa, Lagoa, Imbirussu, Anhanduizinho, Bandeira e Centro.

“A Páscoa é mais uma data importante para a economia, que movimenta, principalmente, os supermercados e lojas especializadas em chocolate, envolvendo desenvolvimento dos produtos, produção, vendas e distribuição, gerando emprego e renda e oportunidades para empreender”, explica o presidente da ACICG, João Carlos Polidoro.

O ovo de chocolate está no topo da lista de presentes, com 59% da preferência, e, em segundo lugar, com 19%, aparece a caixa de bombons. Barra de chocolate (11%), cestas de bombons (3%) e chocotone (2%) foram outras opções citadas com menor incidência. Grande parte dos campo-grandenses também deve levar para casa mais que um produto, já que 29% deles presentearão duas pessoas e 62% apontaram que presentearão de três a seis pessoas. Filhos (25%); mãe (19%); e cônjuge (16%) foram os principais apontados a receberem os presentes.

Ainda segundo o estudo, 32% dos entrevistados pretendem gastar até R$ 50,00 e 26% estimam investir entre R$ 91,00 a R$ 130,00. “Se analisarmos as faixas de R$ 50,00 até R$ 210,00, temos um número de 94% dos entrevistados que poderão gastar até R$ 210,00 no comércio de Campo Grande adquirindo presentes para a Páscoa,” esclarece a coordenadora do curso de Administração da Centro Universitário Anhanguera, Michelle Rosa, responsável pela pesquisa. Os locais mais citados para compra foram as lojas do Centro, com 32% da preferência, e os supermercados, com 29% de escolha.

A forma de pagamento mais apontada (62%) foi a opção à vista (dinheiro e cartão de débito), o que representa uma boa notícia para a economia de Campo Grande, avalia o presidente da ACICG. “Com dinheiro na mão, as chances de negociação são maiores. O comerciante pode criar estratégias conforme o volume da venda e o cliente pode ser atraído pelos descontos, por exemplo. Percebemos que os consumidores estão mais seletivos para não comprometer o orçamento, tanto que este levantamento sinaliza que 77% dos entrevistados realizarão pesquisas de preços antes de efetivarem suas compras”, explica João Carlos Polidoro

 

 

 

Deixe seu Comentário

Leia Também

Consórcio Brasil Central autoriza assinatura de contrato para importação da vacina Sputnik V
Novo lote de Coronavac vai acelerar imunização com segunda dose
Levantamento da Agraer abriu caminho para entrega de 1,1 mil títulos em assentamentos no MS
Nova fábrica vai alavancar economia de Ribas do Rio Pardo, avaliam moradores e comerciantes