Menu
Busca terça, 23 de julho de 2024

Comércio espera aumento de 9,5% nas vendas do Dia das Mães

07 maio 2011 - 11h27





Para quem ainda não comprou o presente do dia das mães, que se apresse. O dia está favarável às compras, tempo aberto e as lojas com tantos atrativos, que prometem grande movimento no comércio da capital. As Vitrines estão preparadas em especial para a ocasião. 


O Dia das Mães é considerado pelos lojistas a segunda maior data de vendas, depois do Natal. Os presentes mais procurados neste período são roupas, calçados, perfumes, cosméticos, jóias e bijuterias.  A gerente da Uzze de Campo Grande, Fabiane Luiza está otimista em relação às vendas este ano.  “Apostamos na vitrine com roupas da coleção Outono/Inverno para as mães. E durante a semana já sentimos o aquecimento nas vendas”, conta Fabiane.

A gerente da loja diz que aproveitou para a promoção do dia das mães, dois ítens que as mulheres mais gostam: estar bem vestida e bem cuidada, ou seja, roupa e beleza. O cliente que comprar qualquer peça ou produto na loja vai concorrer a dois vales “Dia de Beleza” no Centro de Estética Morena Mulher. O sorteio será feito pela rádio Capital (FM 95) duas vezes por semana. 
Além do otimismo dos comerciantes e das apostas em promoções e vitrines bonitas para atrair os clientes, conta ponto também o principal convite para o consumidor entrar na loja são as ofertas, que além de especiais, muitas lojas ainda promovem facilidades no parcelamento. E jeito é entrar e conferir. 

A expectativa da Associação Comercial e Industrial de Campo Grande é que o comércio da Capital tenha crescimento entre 6,5 a 9,5% nas vendas do Dia das Mães, em relação ao mesmo período do ano passado. Alguns setores podem atingir a margem de 20% a mais nas vendas. 

Durante esta semana teve também a operação especial “Dia das Mães”. Equipes de fiscalização da Agência Estadual de Metrologia (AEM/MS), órgão delegado do Inmetro e vinculado à Seprotur, visitaram estabelecimentos comerciais da Capital e do interior do Estado.
As equipes fiscalizaram roupas femininas para certificar se as etiquetas de roupas e tecidos estão de acordo  com as normas estalecidades da resolução do Conselho Nacional de Metrologia, Normalização e Qualidade Industrial (Conmetro).
Segundo a AEM/MS, se os produtos têxteis estiverem irregulares, o comerciante é notificado para apresentar Notas Fiscais que comprovem a origem dos produtos. Peças irregulares são interditadas ou apreendidas.

Então, quem ainda não foi às compras fique atento as informações. Se o consumidor suspeitar de algum problema no que diz respeito às etiquetas das roupas pode denunciar na Ouvidoria da AEM/MS: 0800 67 52 20.


Ida Garcia/Karla Lyara

Deixe seu Comentário

Leia Também

Quer modificar o veículo? CTB prevê que customizações sejam autorizadas pelo Detran
Sala de acomodação sensorial garante espaço reservado para autistas no Bioparque Pantanal
Resiliência: Pantanal Sul-mato-grossense se revela um gigante cheio de vida
Parceria entre governos federal e de MS