Menu
Busca domingo, 19 de maio de 2024

Centro Municipal Pediátrico funcionará em dois meses e atenderá cerca de 200 crianças

05 agosto 2014 - 12h33Por Mariana Rodrigues/Informações CG Notícias

 A Prefeitura de Campo Grande planeja colocar em funcionamento dentro de 60 dias, o Centro Municipal de Atendimento Pediátrico que funcionará  nas antigas instalações do Hospital Sírio Libanês, na Avenida Afonso Pena.  Nesta primeira etapa o Centro atenderá em média 200 crianças por dia, de zero a 12 anos, com consulta, exames de análises clínicas (sangue, urina, fezes), tomografia e 30 leitos de observação por até 12 horas. Serão sete pediatras de plantão por turno, dois a mais que os plantonistas das Unidades de Pronto Atendimento (UPA) quando a escala está completa.

Nos próximos dois meses será necessário investir aproximadamente R$ 1 milhão para pequenas adequações no prédio, compra de alguns materiais permanentes. A nova unidade de atendimento vai gerar um custo mensal de R$ 2 milhões quando toda a estrutura  distribuída em cinco  andares, com 102 leitos, estiver funcionamento . A Unidade de Pronto Atendimento Coronel Antonino, que registra em média 215 atendimentos pediátricos por dia, tem um custo mensal de R$ 2,1 milhões, sendo R$ 400  mil de repasse do Ministério da Saúde e a parcela complementar de R$ 1,7 milhão é de recurso da Prefeitura.

Nesta terça-feira o prefeito Gilmar Olarte assina às 8 horas o contrato de arrendamento do prédio e de toda a estrutura de equipamento do Hospital Sírio Libanês.  

A Prefeitura vai pagar R$ 190 mil por mês pelo  arrendamento  que abrange 90 leito , mais 10 leitos de tratamento intensivo, dois de isolamento, três salas cirúrgicas, equipamento de radiografia e tomografia.  

Quando toda a estrutura tiver funcionando  com todos os seus 102  leitos, vai gerar um custo mensal de R$ 2 milhões, cobrindo custeio e gastos com aproximadamente 191 servidores,  entre os quais, 26 médicos (20 pediatras e seis radiologistas); 24 enfermeiros; oito farmacêuticos; 68 técnicos de enfermagem; oito técnicos  em radiologia; quatro assistentes sociais; 20 servidores administrativos; 21 motoristas; seis motoristas de ambulância; três ajudantes de operação e três auxiliares de serviços diversos.

O planejamento prevê  que a partir janeiro de 2015 o Centro de Atendimento Pediátrico  já funcione como hospital municipal, quando oferecerá também a internação de pré e pós-cirúrgicos dos  pacientes que forem submetidos a cirurgias eletivas que serão realizados em um dos três  centros  cirúrgicos. Contará com 10 leitos do Centro de Tratamento Intensivo, dois de isolamento e os demais 60 leitos existentes na estrutura.

Embrião do hospital

Segundo o prefeito este Centro de Atendimento Pediátrico será  o embrião do futuro hospital municipal que planeja construir a partir de 2015, tendo previsto na LDO (Lei de Diretrizes Orçamentárias) uma dotação de R$ 100 milhões para o ano que vem.  “Já estamos em busca de recursos federais para viabilizar o projeto  que é orçado em R$ 120 milhões”, comenta o prefeito . Olarte  negocia com o Exército a permuta de uma área de 15 hectares na Avenida Dom Antonio Barbosa, prolongamento da Avenida Euler Azevedo, para construção do hospital.

Deixe seu Comentário

Leia Também

Summit Brazil-USA: Mato Grosso do Sul destaca política agroambiental e programa Carbono Neutro
Governo de MS envia insumos e equipe especializada para auxiliar no resgate de animais no RS
Operação Cosud: 333 pessoas presas e 3 toneladas de drogas apreendidas em MS
Avistar Brasil: MS participa do maior evento de observação de aves da América Latina