Menu
Busca domingo, 26 de maio de 2024

Israelenses e palestinos trocam acusações

02 agosto 2014 - 10h53Por Mariana Anjos / Fonte: Agência Brasil

Fontes oficiais palestinas acusaram Israel de desrespeitar o último cessar-fogo humanitário e disseram que cerca de 70 palestinos foram mortos e 200 feridos em ataques da artilharia israelense em Rafah, Sul da Faixa de Gaza. Com os últimos ataques, passa de 1.500 o número de palestinos mortos e de 8 mil o de feridos desde o início da ofensiva israelense no território, em 8 de julho.

O porta-voz do Ministério da Saúde de Gaza, Ashraf Al Qudra, disse que foi Israel quem fez a primeira violação da trégua humanitária de 72 horas, mediada pela Organização das Nações Unidas (ONU), após a sua artilharia bombardear Rafah. Israel, por sua vez, informou que dois de seus soldados foram mortos em combate e que outro pode ter sido capturado pelas milícias armadas, e acusou o movimento islâmico Hamas, que controla Gaza, de aproveitar o cessar-fogo para atacar as suas tropas.

Apesar das acusações de Israel e dos Estados Unidos, o Hamas continua a insistir que a resistência palestina respeitou o cessar-fogo e limitou-se a atuar “de acordo com o princípio da autodefesa”. Em comunicado, as Brigadas Ezzedine al Qassam, braço armado do Hamas, referiram-se a “duros combates onde foram mortos e feridos muitos soldados israelenses”, mas não fizeram referência a qualquer militar capturado.

Segundo moradores de Rafah, cerca de uma hora antes da entrada em vigor do cessar-fogo acordado entre as partes (8h locais, 2h em Brasília), ocorreu um confronto entre blindados israelenses e milicianos armados. Os residentes do Sul de Gaza disseram que tanques e aviões israelenses bombardearam intensamente a cidade e que vários projéteis atingiram um mercado público no centro da cidade, provocando dezenas de mortos e feridos.

Na eventualidade da captura dos seus soldados, o Exército israelense tem ordens para flagelar a zona onde ocorreu o sequestro, inclusive para tentar eliminar seus militares sequestrados e evitar que sirvam posteriormente como “moeda de troca”. Fontes palestinas informaram que a ofensiva israelense prosseguiu durante a tarde em Rafah.

O porta-voz do Hamas em Gaza, Sami Abu Zuhri, disse, em nota, que “a declaração dos ocupantes israelenses de que um dos seus soldados foi capturado tem o objetivo de confundir a opinião pública e justificar a violação do cessar-fogo humanitário”.

 

Deixe seu Comentário

Leia Também

Ordem do Dia: Seis proposições são aprovadas pelos deputados estaduais
Saiba quais são os bairros que estão na rota do fumacê nesta quinta
Prefeitura entrega sede própria para Grupamento Especializado de Motopatrulhamento de Campo Grande
Café com os conselheiros regionais do centro acontece neste sábado (25)