Menu
Busca quinta, 23 de maio de 2024

Campus da UEMS na Capital deve começar a funcionar em 2015

03 agosto 2014 - 16h30Por Mariana Anjos / Informações Notícias MS

O governador André Puccinelli está acompanhando de perto as obras de construção do campus de Campo Grande da Universidade Estadual de Mato Grosso do Sul (UEMS) e junto aos seus dirigentes encaminha as providências para assegurar a realização do primeiro vestibular para a turma de Medicina ainda este ano.

“Vamos concluir a obra e deixar tudo pronto para que a UEMS possa utilizar plenamente as instalações de Campo Grande a partir do ano letivo de 2015”, disse ele, reiterando a orientação no sentido de que sejam realizadas ainda em 2014 as provas de vestibular para Medicina, para oferecer, em um primeiro momento, 40 vagas para o curso.

“Essa é uma conquista dos sul-mato-grossenses. Consolidamos a nossa Universidade Estadual, sua sede em Dourados e fortalecemos os seus cursos. Com a construção do prédio em Campo Grande vamos incluir o curso de Medicina e, com isso, trazer uma nova dimensão para a UEMS”, disse André. As obras têm sido acompanhadas de perto pelo governador por meio de relatórios semanais sobre o andamento dos trabalhos além de visitas à obra.

O governo do Estado destaca que a construção do complexo de Campo Grande não vai transferir a sede de Dourados, permanecendo a administração da Universidade no segundo maior município de Mato Grosso do Sul. Estão sendo investidos em torno de R$ 45 milhões no novo campus, que contará com 18 mil metros quadrados de área construída, divididos em sete blocos.

A sede administrativa da UEMS Campo Grande e o curso de Medicina serão implantados na área da Cepaer/Agraer, área de propriedade do Estado, às margens da MS-080, próximo ao Detran. Na nova unidade serão atendidos cerca de 1.800 alunos e mais 24 mil usuários de serviços de saúde por ano após o sexto ano de implantação da faculdade de medicina.

Prioridade na Educação

Inseridas no programa do governo do Estado MS Forte 2 - Educação, a sede própria da UEMS em Campo Grande e a implantação do curso de Medicina eram sonhos da comunidade acadêmica. “Campo Grande é o único município onde a gente não tinha sede própria, então esta estrutura é para atender 10 cursos que temos hoje sendo sete cursos de graduação e três mestrados”, disse o reitor da UEMS. Todos esses cursos são da área de ciências humanas com a expectativa da implantação do curso de Medicina. “Queremos ampliar os cursos para as ciências da saúde que é um antigo sonho não só da universidade, mas do governo do Estado que vamos concretizar”, salientou.

 Mais Obras

Na Capital o programa MS Forte tem também importantes obras de infraestrutura viária. Com investimentos que totalizam R$ 275 milhões, as obras da rodovia MS-040, que liga Campo Grande a Santa Rita do Pardo, em um trecho de 209 quilômetros, estão em ritmo adiantado e serão entregues ainda em 2014. Uma das principais ações do Programa MS Forte 2, a rodovia vai contribuir para impulsionar o desenvolvimento de Mato Grosso do Sul, inserindo uma área de mais de um milhão de hectares com potencial produtivo à economia do Estado.

Outra importante pavimentação na região de Campo Grande é o trecho de 17,4 quilômetros que liga a Capital ao distrito de Rochedinho. A estrada vai agilizar o escoamento da produção de assentamentos e comunidades quilombolas da região que trabalham com agricultura familiar. A atual administração terá pavimentado até o fim de 2014, mais de 3,6 mil quilômetros de rodovias, com investimentos que totalizam R$ 2,6 bilhões.

Deixe seu Comentário

Leia Também

Ordem do Dia: Seis proposições são aprovadas pelos deputados estaduais
Saiba quais são os bairros que estão na rota do fumacê nesta quinta
Prefeitura entrega sede própria para Grupamento Especializado de Motopatrulhamento de Campo Grande
Café com os conselheiros regionais do centro acontece neste sábado (25)