Menu
Busca segunda, 15 de julho de 2024

Ministro dos Transportes confirma que hidrovia Tietê-Paraná receberá R$ 1 bilhão

13 maio 2011 - 20h33

O ministro dos Transportes, Alfredo Nascimento, confirmou ao deputado federal Edson Giroto (PR-MS) e a prefeita de Três Lagoas, Márcia Moura, investimentos de R$ 1 bilhão para as obras da Hidrovia Tietê-Paraná, a partir deste ano.  A maior parte do dinheiro, R$ 600 milhões, será do Governo Federal por meio do Programa de Aceleração do Crescimento (PAC 2)  e R$ 400 milhões serão do Governo de São Paulo. 


O projeto prevê o aumento da capacidade de trânsito de cargas, além de interligar a hidrovia a outros modais, como a linha férrea no oeste paulista. Esta preocupação existe porque no ano passado foram transportados 5,6 milhões de toneladas na hidrovia e a previsão para 2011 é de 6,3 milhões, com crescimento ainda maior em 2012. 


Este incremento de investimentos também é motivado pela instalação de fábrica de fertilizantes da Petrobras em Três Lagoas e a integração com alcoolduto, que vai utilizar a hidrovia para o transporte de etanol por meio de 80 barcaças e 20 empurradores, já encomendados pela Transpetro (subsidiária da Petrobras). 


Há ainda a intenção de construir uma ligação de 15 quilômetros da hidrovia com a malha ferroviária do Oeste paulista e ao longo do Rio Paraná. A hidrovia terá conexão ferroviária em Santa Fé do Sul/Aparecida do Taboado, Três Lagoas, Presidente Epitácio, Panorama, Rosana, além de Cianorte, Guaíra e Foz do Iguaçu, no Estado do Paraná.


Giroto explicou que o governador de São Paulo, Geraldo Alckmin (PSDB), e o ministro dos Transportes Alfredo Nascimento estiveram reunidos no mês passado discutindo os detalhes do empreendimento, sendo que ficou acertado a aplicação de R$ 1 bilhão na hidrovia. Nesta quinta-feira, Nascimento confirmou ao deputado sul-mato-grossense e a prefeita de Três Lagoas, Marcia Moura, o investimento, que beneficiará diretamente o município.


HidroviaSão 2.400 quilômetros navegáveis, entre vias primárias e secundárias, mais de seis mil quilômetros de margens lacustres e fluviais, passando por cinco estados brasileiros: São Paulo, Goiás, Paraná, Minas Gerais e Mato Grosso do Sul, que, respectivamente são banhados pelos rios Tietê, Paraná, Grande, Paranaíba e todos seus afluentes, integrando também  Brasil, Paraguai, Argentina e Uruguai. A hidrovia abrange mais de 220 municípios, com uma área de influência de 800 mil quilômetros quadrados e capacidade de gerar 22.600 MW de energia elétrica.


 


Ceyd Moreles/Da Redação

Deixe seu Comentário

Leia Também

Temperaturas permanecem amenas e quinta-feira tem probabilidade de chuva fraca a moderada
Julho das Pretas: governos de MS e Federal debatem ações afirmativas e promoção da igualdade racial
Saúde realiza monitoramento das estratégias de vacinação para pólio e sarampo em MS
Investimento na agricultura familiar sobe 130% em edital de extensão da Fundect