Menu
Busca sexta, 19 de julho de 2024

Após mudanças, líderes se preocupam com chapa pura em 2012

06 maio 2011 - 12h34

 


Após mudanças recentes em alguns pontos das regras eleitorais, líderes políticos de Mato Grosso do Sul já se preocupam com a composição de chapas para a disputa de cargos eletivos nas eleições proporcionais para o pleito de 2012.

O fim das coligações partidárias nas eleições proporcionais foi aprovado por ampla maioria na Comissão Especial de Reforma Política do Senado. Assim, as siglas terão que sair com chapa “puro sangue” no ano que vem, quando serão disputadas prefeituras e cadeiras nas Câmaras de Vereadores. 

Apesar disso, as regras só passarão a valer para a disputa do ano que vem se aprovadas no plenário das duas casas legislativas – Câmara e Senado – até o dia 30 de setembro deste ano. Caso contrário, as coligações na disputa por cargos proporcionais – Câmara de Vereadores, Assembléias e Câmara dos Deputados - permanecerão inalteradas. 

Os principais líderes políticos no Congresso estão céticos em relação à validade das novas regras para as eleições do ano que vem. Muitos acreditam que as mudanças passarão a valer somente em 2014, na disputa pela presidência da República, governos estaduais, Senado, Câmara e Assembleias. 

O presidente regional do PTB, Ivan Louzada, se reuniu na quarta-feira com lideranças do partido de Dourados e Ponta Porã, na tentativa de encontrar nomes competitivos que possam obter sucesso no pleito que se avizinha.

O ex-deputado estadual Valdenir Machado participou do encontro e disse que trabalhará para compor a chapa proporcional no segundo maior colégio eleitoral de Mato Grosso do Sul.

Ivan também se reuniu na terça-feira desta semana com o governador André Puccinelli (PMDB), com quem discutiu o mesmo assunto.

Aliado do governador, o PTB espera que Puccinelli ajude o partido a encontrar nomes fortes que possam vencer a corrida eleitoral de 2012 em vários municípios do Estado, sobretudo na Capital.

A ideia dos principais líderes da legenda é eleger pelo menos cinco prefeitos e fazer cerca de 40 vereadores no Estado.

“Eu penso com o pé no chão. Não vou falar que quero fazer 10 prefeitos. Nós não temos recurso para isso. Temos que ser realistas”, afirmou.

No sábado, a partir das 17h30, Louzada se reunirá com a executiva de Ponta Porá, com o objetivo de discutir a possibilidade de fazer um número maior de vereadores do PTB no município. 

No domingo, o encontro será com a executiva de Amambai .”Eu estou acompanhando de perto os diretórios municipais, já que a nossa meta é fazer em 2012 o maior número possível de vereadores”, disse.

Na próxima segunda-feira, a mesma questão será tema de reunião entre Ivan Louzada e o prefeito de Dourados, Murilo Zauith (DEM).

Assim como o PTB, o PMDB de André Puccinelli e o Democratas de Zauith também estão preocupados com a formação das chapas proporcionais em 2012, que também terão de atender outras regras eleitorais. Entre elas, está o número mínimo de mulheres participantes, cuja cota é de 30%.

 


 


Fonte: Conjuntura Online

Deixe seu Comentário

Leia Também

Quer modificar o veículo? CTB prevê que customizações sejam autorizadas pelo Detran
Sala de acomodação sensorial garante espaço reservado para autistas no Bioparque Pantanal
Resiliência: Pantanal Sul-mato-grossense se revela um gigante cheio de vida
Parceria entre governos federal e de MS