Divulgação Fácil
Rivemat
Menu
Busca segunda, 27 de setembro de 2021

Reinaldo Azambuja abre mão do ICMS da conta de luz enquanto durar a bandeira de escassez hídrica

O governador Reinaldo Azambuja anunciou nesta sexta-feira (10) que vai abrir mão do Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Serviços (ICMS) da conta de energia elétrica, enquanto durar a bandeira de escassez hídrica.

10 setembro 2021 - 11h53Por Portal do Governo de Mato Grosso do Sul

Em vigor desde o dia 1° de setembro, a nova bandeira criada pela Aneel encarece a conta de luz, fazendo o consumidor pagar R$ 14,20 extras a cada 100 quilowatts (kWh) consumidos.

Como medida de reduzir o impacto negativo da pandemia na vida do cidadão sul-mato-grossense, o governador já havia decidido zerar o imposto incidente no diferencial da tarifa de energia elétrica na bandeira vermelha, mas como a Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel) criou o novo bandeiramento foi necessário o Governo elaborar novo projeto. “Conversamos com vários segmentos, dona de casa, setor da agropecuária, indústria, comércio, todos eles reivindicaram que a gente pudesse avaliar a possibilidade de também isentar o ICMS sobre a taxa de escassez hídrica, que é aquela taxa que foi criada pela Aneel, e nós validamos na tarde de ontem isso”, disse. Com a decisão, o Estado abre mão de cerca de R$ 36 milhões, trimestralmente. “É o Estado abrindo mão de uma receita para que a gente possa ajudar a baratear a conta de energia aqui no Mato Grosso do Sul, e esse dinheiro ficar no bolso da população”, completou.

O Projeto de Lei deve ser encaminhado à Assembleia Legislativa já na próxima semana, e o governador pediu urgência na tramitação. O presidente da Casa de Leis, deputado estadual Paulo Corrêa, disse que a decisão mostra que o governador está antenado às necessidades da população e garantiu que a Assembleia “não vai falhar”. “Governador antenado, vendo que nessa crise hídrica foi aprovado R$ 14 a mais pela Aneel. O governador está mandando a isenção, com certeza a Assembleia não vai falhar com o povo do Mato Grosso do Sul, vamos todos votar. Projeto de suma importância para impactar menos no bolso da dona de casa, do cidadão sul-mato-grossense”, afirmou.

O projeto, quando aprovado e sancionado pelo governador Reinaldo Azambuja, beneficiará todos os consumidores de energia elétrica de Mato Grosso do Sul, até abril de 2022, quando a cobrança da bandeira de escassez hídrica termina. O Estado é o primeiro no Brasil a abrir mão do imposto com o encarecimento da energia elétrica com a crise hídrica.

Deixe seu Comentário

Leia Também

Pantaneiros destacam efetividade do Estado no combate aos incêndios florestais
Fundação do Trabalho oferta 1.953 vagas de emprego em Mato Grosso do Sul
Operação Fronteiras e Divisas I: MS do Sul é responsável por mais de 50% das drogas apreendidas
Novas leis estaduais promovem educação e bem estar econômico-social em MS