Menu
Busca sexta, 19 de julho de 2024

Fotos da Exposição Pioneiros foram vistas 70 mil vezes em dois meses

29 abril 2011 - 17h43

            


As fotografias históricas da Exposição Pioneiros foram visualizadas 70 mil vezes desde 28 de fevereiro, quando a mostra entrou como destaque no site www.paulorenato.net.br. Também atraíram internautas de vários estados do Brasil, além de quatorze países como Estados Unidos, Nova Zelândia, Ucrânia, Japão, Irlanda, Tailândia, Canadá, Espanha, Itália, Alemanha, França, Israel, Portugal e Inglaterra.


 


             A mostra despertou ainda o interesse, em Brasília, do Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (IPHAN), pela Coordenação Técnica do Patrimônio Ferroviário, que manifestou interesse em publicar parte do acervo da Exposição Pioneiros em seu site oficial e também em alguns de seus impressos.


 


            A galeria também ganhou capa e chamou a atenção de jornais e sites de várias regiões de Mato Grosso do Sul, Mato Grosso, Paraná e São Paulo, incluindo de publicações especializadas em estradas de ferro, como a Revista Ferroviária, de circulação nacional.


 


            O site recebeu congratulações de sindicatos ligados à ferrovia e de ferroviários de Bauru (SP), Corumbá (MS) e Três Lagoas (MS), além de dezenas de internautas de todas as idades.


 


            Em média as fotografias são visualizadas 1.800 vezes por dia. A Exposição Pioneiros possui sessenta fotos em preto e branco e que retratam a construção da ferrovia em Mato Grosso do Sul. 


 


            Pioneiros - As fotografias da Exposição Pioneiros foram feitas por Carlos Silva Mattos (1902-1999) com uma câmera Rolleiflex. Ele trabalhou na administração da extinta Ferrovia Noroeste do Brasil, no sul do território do então Mato Grosso unificado, entre Três Lagoas e Corumbá e também no ramal de Campo Grande a Ponta Porã.


 


            Sob o olhar de Carlos Silva Mattos, que nasceu em Taubaté (SP) e trabalhou 37 anos na Noroeste do Brasil, a exposição revela relíquias históricas de valor inestimável. Todas as fotografias são inéditas. Há registros desde 1929.


 


            O acervo é familiar e pertence a Carlos Iracy Coelho Netto. O apoio cultural é da Clan Color de Campo Grande, que restaurou as imagens.


 


            Ferrovia - Com 1.622 quilômetros de extensão, a Estrada de Ferro Noroeste do Brasil (N.O.B) foi construída na primeira metade do Século XX . Seu traçado também liga a região central do Estado de São Paulo, a partir de Bauru, até a fronteira do Brasil com Bolívia, em Corumbá, Mato Grosso do Sul.


 


            A ferrovia faz a integração com a Rede Ferroviária Boliviana, a partir de Corumbá, até Santa Cruz de La Sierra, na Bolívia.  A Noroeste também tinha um ramal entre Campo Grande, capital de Mato Grosso do Sul, a Ponta Porã, na fronteira do Brasil com o Paraguai.


 


            Devido ao grande interesse a Exposição Pioneiros vai permanecer como destaque no site até o final de maio de 2011.


 


Helton Verão com informações da assessoria

Deixe seu Comentário

Leia Também

Quer modificar o veículo? CTB prevê que customizações sejam autorizadas pelo Detran
Sala de acomodação sensorial garante espaço reservado para autistas no Bioparque Pantanal
Resiliência: Pantanal Sul-mato-grossense se revela um gigante cheio de vida
Parceria entre governos federal e de MS