Menu
Busca terça, 23 de julho de 2024

Indústria bate recorde na geração de empregos

29 abril 2011 - 12h57


O setor industrial de Mato Grosso do Sul, composto pelas indústrias de transformação, de extrativismo mineral, de construção civil e de serviços de utilidade pública, bateu em março o recorde na geração de empregos formais no ano com 5.346 novas vagas e já registra um total de 118.337 postos de trabalho no Estado, conforme levantamento do Radar Industrial da Fiems com base nos dados do Caged (Cadastro Geral de Empregados e Desempregados) do Ministério do Trabalho e Emprego. Para se ter uma idéia, apenas os segmentos indústria de transformação e indústria da construção civil geraram juntos 4.979 vagas, sendo 2.689 pelo primeiro e 2.290 pelo segundo.



Além disso, ainda conforme o Radar da Fiems, o setor industrial já corresponde por 41,9% do total de novos empregos criados em Mato Grosso do Sul no ano, enquanto na seqüência aparecem os setores de serviços, com 4.102 vagas ou 32,1%, e agropecuária, com 2.814 vagas ou 22,0% do total de novos empregos criados em 2011. O Estado, com o saldo acumulado em março, obteve a marca de 562,9 mil postos formais de trabalho, indicando uma elevação equivalente a 3,04% sobre o estoque total verificado ao fim de 2010.



Com saldo de 1.071 empregos formais criados no mês de março, a indústria mantém a parcela de 21% de todo o emprego formal existente no Estado, ficando atrás somente dos setores de serviços (26%) e administração pública (23%), com um total de 143,8 mil e 130,7 mil empregos formais, respectivamente. O resultado ocorrido em março fez com que o segmento industrial em Mato Grosso do Sul alcançasse um novo recorde de empregos formais. Adicionalmente, de janeiro de 2010, até o momento, o recorde de empregos nas atividades industriais foi quebrado em 13 oportunidades, das quais nove foram consecutivas, como pode ser observado na tabela abaixo.
Índice
Pelo Índice de Evolução do Emprego Formal na Indústria, calculado pelo Radar da Fiems, o segmento industrial, na posição verificada em março, foi de 173,3 pontos, indicando um crescimento de 73% sobre o estoque do ano base de 2005. Na mesma comparação, o setor de serviços apresentou um índice de 144,2 pontos e crescimento de 44%, o comércio com 132,5 pontos (+33%), a agropecuária com 116,5 pontos (+17%) e administração pública com 112,5 pontos (+13%).



No caso do emprego formal total em Mato Grosso do Sul, o índice de evolução alcançou a marca 134,3 pontos (+34%). Constata-se, deste modo, que no período compreendido entre 2005 e 2011, até o mês de março, o ritmo de expansão do emprego formal na indústria em Mato Grosso do Sul foi 29% maior que àquele apresentado pelo conjunto da economia estadual. Na mesma comparação, em relação aos segmentos de serviços, comércio, agropecuária e administração pública, o ritmo de expansão da indústria foi maior em 20%, 31%, 49% e 54%, respectivamente.



No comparativo com igual mês do ano passado, os desempenhos do Índice de Evolução do Emprego Formal foram indústria (10,9%), serviços (8,1%), comércio (7,3%) e agropecuária (0,1%). Na mesma comparação, o índice para conjunto da economia sul-mato-grossense apresentou crescimento equivalente a 5,6%. Por fim, na comparação com o mês imediatamente anterior, os índices de evolução do emprego formal nos serviços, indústria, agropecuária e comércio apresentaram desempenhos equivalentes a 1%, 0,9%, 0,3% e -0,2%, respectivamente. Já a administração pública, na mesma comparação, não apresentou alteração em seu índice. 


 


Karla Lyara

Deixe seu Comentário

Leia Também

Quer modificar o veículo? CTB prevê que customizações sejam autorizadas pelo Detran
Sala de acomodação sensorial garante espaço reservado para autistas no Bioparque Pantanal
Resiliência: Pantanal Sul-mato-grossense se revela um gigante cheio de vida
Parceria entre governos federal e de MS