Menu
Busca domingo, 14 de julho de 2024

Nelsinho corta ponto de professores faltosos mas assegura diálogo com categoria

29 abril 2011 - 17h24

O prefeito Nelson Trad Filho falou na manhã desta sexta-feira sobre a negociação salarial com a Associação Campo-grandense dos Profissionais de Educação Pública (ACP). Nelsinho disse que a Prefeitura continua de portas abertas para o diálogo, pontuou que – com a proposta atual – o salário dos professores do município é o melhor do estado e o segundo melhor do país, e avisou que não tolerará a radicalização do processo e suspensão de aulas - como ocorreu hoje em cerca de 20 escolas da Rede Pública Ensino (Reme).
“Não foi legal esta atitude dos professores que paralisaram as aulas hoje. O combinado não custa caro, e isso não foi o combinado. Estamos em plena negociação, a bom termo, com tranqüilidade. Ninguém gosta de ser passado para trás. A partir do momento em que eu me reuni com os representantes da categoria por duas vezes ontem e combinei de ir à ACP neste sábado, às 9h, para explicar em detalhes a nossa proposta, e eles concordaram com isso, garantindo que as aulas hoje seriam normais, não há desculpa para terem suspendido as aulas em algumas escolas. Portanto, quem faltou hoje terá o dia descontado”, afirmou o prefeito.
Nelsinho disse ainda que não permitirá que a população seja prejudicada. “Quem paga o salário do professor é a população que paga seu imposto e que está com seu filho na escola. Eu estou na Prefeitura não para defender somente o professor, mas para defender a população de Campo Grande. Os professores têm que ter consciência de que não existe porta fechada na Prefeitura e que uma atitude radical como a suspensão parcial das aulas nesta sexta vai suscitar outras atitudes radicais. Volto a afirmar, o combinado não sai caro”.
Melhor salário do estado, segundo do país
A proposta salarial aprovada ontem na Câmara Municipal coloca os professores do município como aqueles que melhor recebem no estado e na segunda posição entre os maiores salários pagos para a categoria no país. A proposta engloba incorporação da regência de 100%, complemento de 6,5% para os professores cuja incorporação a remuneração não atinja o incremento de 6,5%, e aumento linear de 1,5% em outubro.
“Amanhã, na Assembléia da ACP, vamos distribuir oficialmente os valores definidos em todas as referencias e subcategorias que os professores possuem, mostrando o ganho real que eles terão com a proposta da Prefeitura. Tenho certeza que a partir do momento que isso for esclarecido este impasse vai acabar”, afirmou o prefeito.

Deixe seu Comentário

Leia Também

Temperaturas permanecem amenas e quinta-feira tem probabilidade de chuva fraca a moderada
Julho das Pretas: governos de MS e Federal debatem ações afirmativas e promoção da igualdade racial
Saúde realiza monitoramento das estratégias de vacinação para pólio e sarampo em MS
Investimento na agricultura familiar sobe 130% em edital de extensão da Fundect